publicado:
21/11/2018 08h40


última modificação:
21/11/2018 11h19

Com a presença do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, e do secretário da Receita Federal, auditor-fiscal Jorge Rachid, foi descerrada na tarde desta terça-feira (20/11) no saguão do Ministério da Fazenda em Brasília uma placa comemorativa aos 50 anos da Instituição.

Rachid destacou a importância do registro histórico do cinquentenário e agradeceu a presença dos dirigentes e dos servidores presentes ao ato, passando a palavra ao ministro da Fazenda, que fez questão de ressaltar o empenho dos servidores da Receita Federal nos últimos anos. “Gostaria de agradecer o empenho de todos. Foram anos difíceis, com muitas lutas, mas creio que avançamos bastante. A Receita Federal é reconhecida pela qualidade de seu trabalho, e podemos destacar muito do que foi feito, como as melhorias no atendimento, na desburocratização e na simplificação”, registrou Guardia, citando como exemplo iniciativas como a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica e o Portal do Comércio Exterior que trouxeram melhorias para o contribuinte.

O ministro destacou também a integração com outros entes como uma das fórmulas de sucesso da Receita Federal. “Temos uma eficiência muito grande na área de arrecadação e cobrança, e vem melhorando ainda mais com o trabalho em conjunto com os Estados e municípios, além das parcerias com os mais de cem países com que trocamos informações tributárias”, lembrou.

Para Guardia, a Receita Federal vai ser fundamental para que o Brasil enfrente os desafios que estão por vir a médio prazo. “Até mais do que o desafio fiscal, vejo que a área tributária será fundamental para o crescimento do País. E a Receita Federal pode contribuir muito com sua experiência para avançarmos na simplificação tributária e para garantir mais competitividade às empresas nacionais, diminuindo custos e reduzindo os litígios tributários”, destacou o ministro.

Fonte Oficial: Receita Federal

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.