Novo produto da startup segue os moldes do popular ‘Quero Bolsas’ e oferece até 70% de desconto em cursos de inglês de escolas parceiras

A startup brasileira Quero Educação expandiu a sua área de atuação para além das bolsas em cursos universitários. Agora, a nova plataforma batizada de Quero Bolsas Idiomas media descontos de até 70% em cursos de inglês. 

Fundada em 2012 pelos brasileiros Bernardo de Pádua, Lucas Gomes e Thiago Brandão, a startup chamou a atenção do Vale do Silício, tendo sido a primeira startup brasileira de educação acelerada pela Y Combinator, por onde já passaram empresas como Airbnb, Reddit e Dropbox.

O produto mais popular da startup de marketing educacional é o Quero Bolsas. Por meio dele, estudantes recorrem ao site para encontrar informações sobre cursos, instituições de ensino, comparar preços e conseguir bolsas de estudo em mais de mil instituições parceiras. Segundo a própria empresa, mais de 450 mil estudantes brasileiros conseguiram ingressar na universidade usando o Quero Bolsas.

A nova vertical para cursos de inglês vem, segundo Marco Piacentini, gerente de Novas Verticais da Quero Educação, com metas ambiciosas. Segundo Piacentini, já no primeiro ano, as projeções apontam para um impacto de mais de 15 mil pessoas e 1000 instituições. “A longo prazo o objetivo é matricular mais de 400 mil alunos nas 10 mil escolas de inglês em todo o país”, completa. 

Por meio da plataforma será possível encontrar informações sobre cursos e instituições, além de oportunidades de bolsas de estudo de até 70%. De acordo com Marco Piacentini, gerente de Novas Verticais da Quero Educação, um dos objetivos é mostrar as várias possibilidades de estudar inglês, e, assim, apoiar uma decisão que pode abrir portas nos âmbitos pessoal e profissional.

Para tornar o projeto possível, a companhia investiu no desenvolvimento de uma nova área totalmente dedicada à conexão de jovens e adultos que buscam instituições especializadas no ensino da língua inglesa. “Contratamos 11 colaboradores exclusivos para o Quero Bolsa Idiomas. Acreditamos no potencial estratégico da plataforma e a dedicação de uma equipe é essencial”, afirma Piacentini.

Para as escolas, a vantagem, na visão da startup, é que elas terão uma nova ferramenta digital para prospectar novos alunos e, ao mesmo tempo, funcionará como uma comunidade exclusiva que reunirá conteúdo de alta qualidade beneficiando as instituições de ensino. “A ideia é explorar o potencial desse mercado, de maneira a elevar o número de estudantes de idiomas e agregar valor às escolas”, completa Piacentini.

 

Fonte Oficial: IDG Now!.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.