Os empresários Bruno Tameirão e Miguel Corrêa Junior, fundadores da startup We Share, lançaram o marketplace PontoCom (foto: Carlos Altman/em/d.a press)

Imagine entrar no salão de beleza do seu bairro para aparar a barba e melhorar o visual do cabelo. Entre uma tesourada e outra, o barbeiro começa a falar sobre as vantagens de adquirir um empréstimo consignado de um banco que oferece juros baixíssimos por conta da redução da taxa Selic. E, de repente, ele percebe que o seu smartphone está ultrapassado e comenta as vantagens de adquirir o último modelo iPhone, da Apple, e todas as suas inovações. Na hora de pagar pelo serviço do corte ele pergunta: vamos adquirir aqui esses produtos que te falei?

 

Parece cena de filme de ficção, mas não é. Essa é a proposta inovadora da plataforma PontoCom, da startup mineira We Share, fundada no fim do ano passado pelos empreendedores Miguel Corrêa e Bruno Tameirão. A empresa de tecnologia foi criada com o foco no empoderamento de empresas pequenas no sentido de alavancar seus negócios, gerar empregos, melhorar as vendas e promover uma relação mais humana no mundo empresarial.

 

“A economia colaborativa fortalece o pequeno empresário, o pequeno comerciante ou quem quer crescer ou ter uma receita a mais na vida. Vamos fazer a revolução da economia com a PontoCom mostrando que distribuir o dinheiro da melhor forma, que é entregar sempre a maior parte para o pequeno, para a base da pirâmide financeira, e diminuir o ganho da parte de cima, é a melhor forma da gente ter um país mais justo e equilibrado. É bom para todo mundo”, afirma Miguel Corrêa.

 

O nosso papel é facilitar a integração e a aproximação de pessoas com
interesses mútuos em um ambiente digital

Miguel Corrêa , empresário

 

Bruno Tameirão, cofundador e CEO da startup mineira, acrescenta: “Queremos garantir rendimento extra aos pequenos negócios em todo o país, através de um novo modelo de negócio digital que propõe o compartilhamento de produtos diversos, desde abertura de contas em banco, contratação de planos de saúde, seguros de vida ou de veículos. Estabelecimentos comerciais diversos como barbearia, loja de roupas e quitandas vão poder oferecer aos clientes outros produtos como eletrônicos, eletrodomésticos, móveis para casa ou contratar um serviço como contador ou pintor/bombeiro para pequenos reparos em casa”.

Marcas consagradas

A plataforma marketplace (basicamente, um shopping virtual, que pode ser tanto de produtos quanto de serviços) conecta pequenos empresários e pessoas físicas a marcas consagradas para que possam vender e faturar alto sem precisar de investimento inicial. O foco é aumentar a renda pessoal ou os rendimentos do negócio ao permitir acesso, sem custo, ao portfólio de produtos e serviços de grandes marcas nacionais. A PontoCom oferece treinamento (gratuito e on-line) para que o afiliado tenha na ponta da língua os argumentos de venda de cada produto ofertado. Dependendo da dedicação, o afiliado pode garantir renda mensal extra de até R$ 5 mil.

 

O lançamento oficial está marcado para o próximo mês, mas o PontoCom entrou no ar para testes e ajustes desde o mês passado. Como brinca Miguel Corrêa: “Fizemos um lançamento cego, surdo e mudo onde impulsionamos um post no Facebook com valor irrisório. Com apenas R$ 10, queríamos sentir o mercado antes do lançamento oficial. E nesse pouco tempo registramos o interesse de 300 afiliados e 120 SuperNegócios”.

 

Para se tornar um afiliado, basta fazer o cadastro na plataforma www.pontocom.site. Lá, os gestores da plataforma vão realizar uma curadoria dos interessados. A partir daí, a equipe da plataforma vai disponibilizar treinamentos de como vender os produtos dos chamados SuperNegócios (grandes empresas ou prestadoras de serviços como Banco BMG, Suggar, TopPrev, Multilaser e outros). O ingresso ao programa será confirmado após a realização da primeira venda na plataforma. E para permanecer na equipe, o afiliado precisará fazer no mínimo, a cada mês, a venda de quatro produtos do portfólio.

 

Para se tornar um SuperNegócio, o processo de acesso ao marketplace é o mesmo do afiliado. Para quem já é dono de um negócio (ponto fixo), essa é uma maneira fácil de ativar uma nova fonte de renda em seu ponto comercial. O PontoCom possibilita comerciantes e empresários aumentarem seu portfólio de produtos sem a necessidade de reconfigurar seu modelo de negócio. A plataforma oferece todo o suporte para o empresário faturar alto: com cursos sobre os produtos, material promocional (sem custo), plataforma fácil de gerenciar e um grande portfólio.

A divisão dos valores da venda de cada produto é feita da seguinte forma: o SuperNegócio fica com 70%, o afiliado recebe 17,5% do valor e o restante, 12,5%, fica a cargo da PontoCom.

MODELO HUMANIZADO

Para os fundadores da We Share, o modelo humanizado de negócios que eles praticam é inspirado no pensamento do historiador e professor israelense Yuval Noah Harari, autor do best-seller internacional Sapiens: Uma breve história da humanidade. Sobre a questão da importância da cooperação, ele escreveu: “O poder dos homens não é determinado pelo indivíduo, mas por uma coletividade, pois os seres humanos sozinhos são criaturas fracas”. Ele também é autor de Homo Deus – Uma breve história do amanhã e 21 lições para o século 21.

 

A We Share – startup que propõe ser um estúdio/aceleradora de novas empresas – preocupa-se com o modelo social e econômico fundamentado no compartilhamento de recursos humanos, físicos ou intelectuais. É uma holding que engloba, além da PontoCom, outras cinco empresas como Golz (gestão de novos negócios de times de futebol), Blessing (atua junto aos evangélicos), HubLearnig (educação a distância), BeConnected (projetos focados em temas políticos, ambientais e sociais) e a PontoCom Energy (energia limpa e renovável). “Nunca a expressão a união faz a força fez tanto sentido. Quando juntamos esforços, melhoramos a vida das pessoas ao redor. Pela primeira vez, vamos propor o enfrentamento mundial da escalabilidade para a redistribuição do bolo financeiro mais justa”, emociona-se Miguel Corrêa.

 

A tecnologia tem o papel de conexão para o bom funcionamento dos projetos da economia compartilhada. “O nosso slogan é: nós somos sua agência de negócios. O nosso papel é facilitar a integração e a aproximação de pessoas com interesses mútuos em um ambiente digital. É um sistema econômico baseado na troca, no compartilhamento, onde todos podem ter acesso a produtos, serviços e conhecimento. Tudo isso por meio de plataformas digitais e pelas redes sociais”, argumenta Miguel.

 

A startup foi criada do ano passado com investimento de R$ 6 milhões. Hoje, conta com 40 funcionários/colaboradores em diversas áreas. A previsão de receita este ano é R$ 2,09 milhões, sendo R$ 548 mil em receita recorrente. Para 2020, os empresários Miguel Corrêa e Bruno Tameirão estimam receita de R$ 19,84 milhões com os novos contratos assinados. Desse valor, cerca de R$ 5,1 milhões são em receita recorrente. Os empresários mineiros pretendem contratar, nos próximos meses, 60 colaboradores em diversas áreas.

 

 

Conheça as vantagens 

de aderir à plataforma

QUAIS OS BENEFÍCIOS DE EMPREENDER COM A PONTOCOM

»  Treinamentos de especialistas para começar a empreender 

do zero

»  Acesso a um mix de produtos 

e serviços de grandes marcas 

do mercado

»  Sem necessidade de 

investimento inicial

»  Possibilidade de aumentar sua renda de forma exponencial

POR QUE SER UM 

PONTO DE VENDA?

» Ganhar credibilidade com 

um ponto comercial

» Descontos na conta de luz

» Forme sua equipe de vendas

COMO VOU RECEBER 

PELAS COMISSÕES?

Uma vez por mês, a plataforma transfere seus valores das vendas realizadas para sua conta digital BMG. Esta conta deve ser aberta para que você receba suas comissões. A conta digital BMG é sem tarifa, sem anuidade com transferências gratuitas e 

saques ilimitados.

POR QUE VENDER 

PRODUTOS PONTOCOM

Porque vendendo produtos PontoCom você ganha com a credibilidade da sua rede de distribuidores formada por marcas consagradas no mercado nacional. Isso garante grande poder de persuasão na hora de 

efetivar suas vendas.

QUANTO O AFILIADO PODE 

GANHAR POR MÊS?

Depende do tempo que ele se dedicar para vender, da sua rede de contatos e claro, de seguir os ensinamentos em cada treinamento.

UM AFILIADO PODE SER UM VENDEDOR PESSOA FÍSICA

Sim. Ele pode se tornar um vendedor (afiliado) PontoCom sem ter CNPJ. O CNPJ é necessário apenas para aqueles que queiram montar um ponto de vendas.

POSSO SER UM VENDEDOR OU PONTO DE VENDA DE QUALQUER LUGAR DO BRASIL?

Sim, para ser um afiliado ou um PDV você pode estar em qualquer ponto do Brasil.

COMO ESCOLHER O QUE 

DEVE SER VENDIDO?

Você pode vender produtos e serviços dos mais diversos segmentos e lucrar com 

cada um deles. 

Fonte Oficial: EM.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.