Parece surreal, mas é só a tecnologia quebrando paradigmas. O Dalí Museum, na Flórida, utilizou inteligência artificial para criar uma versão digital e interativa do artista surrealista Salvador Dalí. A cópia do pintor espanhol recepcionará os visitantes do museu a partir de abril, em homenagem aos 30 anos de sua morte.

Um software foi alimentado com diversas gravações e imagens do Salvador Dalí. O algoritmo, então, assimilou as informações e recriou as feições, trejeitos e até a lógica do artista. Depois, o rosto do pintor substituiu o de um ator, que realiza os movimentos da versão digital. O resultado – divulgado no vídeo abaixo – foi um retrato quase fiel do maior ícone do surrealismo.

Segundo a organização do Dalí Museum, a ideia é que a versão digital do pintor seja uma obra de arte surreal e faça parte da experiência do museu. Ou seja, o público não deve esperar uma recepção muito racional – como seria o caso de qualquer obra de Dalí.

Esta não é a primeira aplicação de inteligência artificial no universo das artes. Na semana passada, a marca chinesa Huawei utilizou um software para terminar uma sinfonia de Schubert.

Mais notícias sobre inteligência artificial:

Clínica chinesa de inteligência artificial dá diagnóstico em um minuto

Trump anuncia iniciativa para promover inteligência artificial nos EUA

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.