A Salesforce, empresa dos EUA de softwares com foco em vendas e relacionamento com o consumidor, fez parceria com a Alibaba para ampliar seus negócios na China. A ideia do acordo é facilitar a entrada da norte-americana no mercado de serviços na nuvem, que é altamente regulado pelo governo chinês.

A colaboração também vale para Hong Kong, Taiwan e Macau. Ela prevê exclusividade de mão dupla: a Alibaba será a única empresa a comercializar os softwares da Salesforce na China, e também o único programa de CRM vendido pela chinesa será o da norte-americana.

Hoje, há restrições para empresas americanas de softwares na nuvem que querem fazer negócios na China. Por conta da disputa comercial entre as duas potências globais, o país asiático quer depender menos da tecnologia ocidental. Apesar da especulação em torno do fim dessas restrições, principalmente depois da reunião entre os presidentes Trump e Xi Jinping, a maneira mais garantida de ter sucesso no país é se unindo a grandes empresas locais, como é o caso da gigante do e-commerce Alibaba.

“Como provedor líder de serviços em nuvem na Ásia, nossa plataforma de infraestrutura de nuvem e inteligência de dados combinada com as soluções líderes de mercado da Salesforce para vendas e comércio fornecerá aos clientes globais experiências incríveis em todos os pontos de contato”, disse Ken Shen Too, VP da Alibaba Cloud Intelligence.

Em março, a Salesforce divulgou um plano de dobrar sua receita – que é de mais de US$ 13 bilhões por ano – até 2023. Esta expansão passa por aquisições estratégicas, como a da Tableau, como pela maior presença no mercado chinês.

Este artigo é uma adaptação do Technode, portal de notícias sobre tecnologia da China, e parceiro de conteúdo da StartSe.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.