A Rota 2030, decreto que regulamenta a atuação do setor automotivo no Brasil, acaba de avançar em sua busca pela implantação no país. A Medida Provisória (MP), que foi aprovada ontem pela Câmara dos Deputados e nesta manhã pelo Senado, foi assinada nesta quinta-feira pelo presidente Michel Temer (MDB) na abertura da edição 2018 do Salão do Automóvel.

Agora, a Medida Provisória segue para a sanção do Presidente Michel Temer. Se sancionado, o projeto substituirá o Inovar Auto, encerrado em dezembro de 2017 por violação de regras internacionais identificadas pela Organização Mundial do Comércio.

O projeto, que prevê incentivos fiscais ao setor, tem o objetivo de acelerar o crescimento da indústria automotiva no Brasil. Mas, para obter os incentivos, as montadoras que produzem veículos no país devem se inscrever no programa e provar que estão investindo em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, de forma a fortalecer o mercado brasileiro frente ao mercado exterior. Uma das iniciativas é a dedução de taxas no Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ).

São citadas como de interesse pesquisas em conectividade, sistemas estratégicos, soluções para a mobilidade e logística, novas tecnologias de propulsão – como os carros elétricos e híbridos – e autonomia veicular, como os carros autônomos. Tecnologias como big data, análise de dados e inteligência artificial também são citados pelo regulamento do Poder Executivo federal.

Os benefícios para as empresas que apostarem em novas tecnologias e em eficiência energética serão válidos pelo prazo de cinco anos. Carros movidos a motores flex poderão ter a redução de até três pontos porcentuais na alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), enquanto os veículos convencionais não terão o mesmo benefício.

Segundo o G1, o novo regime propõe a concessão de até R$ 1,5 bilhão, por ano, de crédito tributário à indústria, caso as empresas contribuam e invistam ao menos R$ 5 bilhões por ano em pesquisas para tornar o mercado brasileiro mais competitivo.

A presença de carros elétricos no Brasil

A 30ª edição do Salão do Automóvel conta com a presença de vários veículos híbridos de diversas montadoras – desde os modelos populares aos que requerem um investimento mais alto. Pela primeira vez, os participantes poderão realizar test-drive com os veículos elétricos e híbridos presentes no local. A StartSe já esteve lá e conferiu todas as novidades, que vão desde carros elétricos a veículos com inteligência artificial.

Hoje, ainda é incomum a presença de carros elétricos ou híbridos nas ruas brasileiras, mas a presença de peso das marcas no maior evento de exposição dos produtos indica que essa é a direção para qual o mercado está olhando – e, com a recente assinatura do decreto que discorre sobre a Rota 2030, o governo também.

O país líder em carros elétricos

No ano passado, a China foi o país que mais produziu carros elétricos no mundo – aproximadamente 580 mil carros elétricos foram vendidos no país. A iniciativa também é um reflexo de uma iniciativa no governo: a China determinou que 20% dos carros no país devem ser elétricos ou movidos a combustíveis alternativos até 2025.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.