Momento é de desempenho econômico fraco em função da paralisação de grande parte das empresas e de queda na arrecadação por parte do Estado
(Arte: TUTU) 

A Reforma Administrativa seria fundamental como auxílio para estabilizar a economia afetada pela pandemia causada pelo novo coronavírus. O desempenho econômico fraco em função da paralisação de grande parte das empresas e a queda na arrecadação por parte do Estado teriam uma contrapartida na redução dos gastos da máquina pública com funcionários dos Três Poderes.

“O governo vai ter de gastar muito mais do que previa, sendo que ele já estimava antes da pandemia um déficit de R$ 129 bilhões. São graves problemas o aumento considerado de gastos e uma redução de tributos pela própria não atividade econômica”, afirma o presidente do Conselho Superior de Direito da FecomercioSP, Ives Gandra Martins.

Entenda mais sobre a crise gerada pela pandemia:
Ouça: passamos por uma das piores crises e a recuperação pode ser mais lenta do que a das anteriores
Ouça: falta ação coordenada nas políticas tributárias durante pandemia
Conheça todos os pedidos feitos aos governos municipal, estadual e federal

Esse cenário vai marcar drasticamente as possibilidades da retomada rápida da economia. “O governo está procurando fazer uma economia de emergência. A recuperação será de pós-guerra, como a Europa que se recuperou após a Segunda Guerra Mundial com o Plano Marshall”, destaca.

Ouça o podcast: 

O conteúdo também está disponível aqui.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.