publicado:
09/07/2019 10h34


última modificação:
09/07/2019 10h52

Receita Federal (RFB), Polícia Federal (PF) e Controladoria Geral da União (CGU), deflagraram, nesta terça-feira, 09/07/2019, a Operação Desvia 3, com o objetivo de combater esquema de desvios de recursos públicos federais em obras licitadas no município de Barbacena.

A operação conta com a colaboração de sete servidores da RFB, dez auditores da CGU e 65 policiais federais. A ação consiste no cumprimento de mandados de busca e apreensão em Barbacena e Belo Horizonte.

Estão sendo investigados a construtora e os agentes públicos que participaram das licitações. O objetivo é a apuração dos indícios de fraude e de obtenção indevida de vantagens relativas aos recursos para edificação de unidades básicas de saúde (UBS). O montante total R$2.708.869,99 foi repassado pelo Ministério da Saúde e complementado pela Secretaria de Saúde do Estado de Minas Gerais. As obras encontram-se paralisadas.

O que é a Unidade Básica de Saúde?

A Unidade Básica de Saúde (UBS) faz parte da Rede de Atenção à Saúde. Os serviços oferecidos por uma UBS são todos gratuitos uma vez que ela integra o Sistema Único de Saúde (SUS). As Unidades são instaladas em locais próximos às comunidades locais e desempenham um papel central na garantia de acesso aos atendimentos básicos em Pediatria, Ginecologia, Clínica Geral, Enfermagem e Odontologia para a população. Os principais serviços oferecidos são consultas médicas, inalações, injeções, curativos, vacinas, coleta de exames laboratoriais, tratamento odontológico, encaminhamentos para especialistas e fornecimento de medicação básica.

Coletiva de Imprensa

Haverá uma coletiva sobre a terceira fase da Operação Desvia na sede da Polícia Federal em Juiz de Fora hoje, às 10:30.
O endereço é Avenida Brasil,  4.150. Bairro Manoel Honório,  Juiz de Fora.

Pela RFB participará o Delegado da Receita Federal em Juiz de Fora, Leonardo Couto Sobral.

Fonte Oficial: Receita Federal

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.