Ação se torna necessária por causa da incerteza da duração da pandemia e da retomada da economia
(Arte: TUTU)

Um estudo feito recentemente pela FecomercioSP indica que a crise atual é pior do que a recessão econômica de 2015-2016 e, para enfrentar esse momento, as empresas precisam de uma série de medidas, pois só com muito conhecimento será possível evitar fazer parte das quase 200 mil empresas de pequeno porte que devem ser fechadas no Brasil neste ano. 

Essas recomendações de gestão  podem servir como forma de adequação da empresa ao momento atual e também podem ser aplicadas imediatamente para atenuar os prejuízos em meio à pandemia. Tal ação se torna necessária por causa da incerteza da duração da pandemia e da retomada da economia.

Saiba mais sobre os reflexos da pandemia e como lidar com ela:
Valor do auxílio emergencial impacta positivamente o varejo brasileiro durante pandemia
Vestuário é a atividade mais afetada pela pandemia e deve fechar o ano com queda de 25% no faturamento
Assista a uma série de aulas práticas para manter seu negócio diante de momentos de crise

Veja a seguir cinco dicas:

*Custo de funcionamento da empresa: será que você sabe qual o custo mensal da empresa e quais desses são os fixos e os variáveis?
*Reveja o relacionamento com o cliente em tempos de crise: o consumidor está mais tempo em casa, será que você sabe como se aproximar dele nesse contexto imposto pela pandemia?
*Use o e-commerce como opção: veja o comércio eletrônico como um grande parceiro de vendas.
*Gestão de estoques: estoque parado é gasto! Coloque tudo no papel e se planeje para impedir falta e excessos de produtos.
*Reduza a margem de lucro: pense em quais produtos a redução pode ser usada em favor dos negócios.

Para saber mais sobre essas e outras recomendações, cadastre-se aqui e confira o e-book – Gestão empresarial em meio à pandemia de covid-19. A publicação digital foi elaborada pela FecomercioSP e é gratuita.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.