Guarnieri conta ainda que a crise gerada pela pandemia acelerou a implantação de projetos programados para o decorrer deste ano
(Arte: TUTU) 

A mudança no hábito de consumo do comprador que recorre cada vez mais ao e-commerce aliada às restrições da quarentena torna esse um momento propício para a entrada de novos negócios no comércio eletrônico. “A facilidade para vender online torna propício esse momento para os empresários que pensavam em vender nesse ambiente”, diz Bruno Guarnieri, diretor de marketplace do Mercado Livre no Brasil, na série “Mercado & Perspectivas”, uma iniciativa da FecomercioSP.

Receba mais conselhos sobre como lidar com a crise nesse momento:
Ouça: preserve toda e qualquer reserva em dinheiro da empresa
Ouça: coronavírus pressiona transformação digital nas PMEs

Na entrevista, ele fala que a plataforma é uma oportunidade para os comércios que sofrem com as limitações impostas pela quarentena, prolongada nesta sexta-feira (17) pela segunda vez. Guarnieri conta ainda que a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus acelerou a implantação dos projetos estratégicos programados para o decorrer deste ano, assim como mudou a forma como é feita a entrega ao cliente, o aumento na higienização no centro de distribuição e na hora da entrega, entre outros processos.

Apesar dos desafios, ele diz que a empresa percebe grandes mudanças no mercado com a entrada de consumidores na plataforma. “Também registramos aumento de 35% no número de novos compradores, ou seja, de pessoas que nunca haviam comprado no online. Isso impacta bastante a nossa rotina”, destaca.

Ouça o podcast:
 

O conteúdo também está disponível aqui.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.