A produção de minério de ferro pela Vale no quarto trimestre de 2018 alcançou 100,988 milhões de toneladas, aumento de 8,2% em relação a igual período do ano anterior. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, houve uma queda de 3,8%. Com isso, no acumulado do ano, a produção alcançou 384,639 milhões de toneladas, crescimento de 4,9% ante o ano anterior.

A Vale informou que a qualidade de seu minério de ferro foi de cerca de 64% em 2018. Segundo a companhia, a produção de S11D mais que dobrou no ano passado, alcançando 58,026 milhões de toneladas.

Ao todo, o Sistema Norte, composto por S11D e Carajás produziu 193 milhões de toneladas no ano, cerca de metade da produção no ano. Já o Sistemas Sul e Sudeste somaram 188 milhões de toneladas, cerca de 49% da produção no ano. Com exceção de Itabira, todas as regiões registraram queda na produção no último trimestre do ano.

Já produção de pelotas continuou aumentando no quarto trimestre. Foram 15,812 milhões de toneladas, aumento de 22,6% em relação ao observado no mesmo período do ano anterior. Em relação ao terceiro trimestre o aumento foi de 13,9%. No ano, o volume produzido de pelotas chegou em 55,304 milhões de toneladas, expansão de 9,9%.

Anualizada

Anualizada, a produção de pelotas impactada pela paralisação dos complexos de Fábrica e Vargem Grande alcança 11 milhões de toneladas, equivalente a cerca de 20% da produção de pelotas da companhia em 2018. A conta não considera o eventual impacto da queda na produção global de minério de ferro, calculado pela companhia, no cenário atual, em 92,8 milhões de toneladas no ano e que pode atingir outras plantas de pelotização.

No relatório de produção de 2018 divulgado nesta terça-feira, a Vale calcula o impacto da paralisação de Vargem Grande, Fábrica, Brucutu, Timbopeba e Alegria em 92,8 milhões de toneladas. O relatório mostra que todas essas unidades registraram redução na produção no último trimestre do ano. A queda no Sistema Sul foi de 6,2% em relação ao intervalo entre julho e setembro. Já no sistema Sudeste, a redução na produção alcançou 5,3% no período.

Mesmo assim, no ano, os dois sistemas vinham em uma forte trajetória de alta, como indica o desempenho no último trimestre, superior ao do mesmo período do ano anterior. Na comparação entre o quarto trimestre de 2018 e o mesmo período de 2017, a alta foi de 1,9% no Sistema Sudeste e de 4,9% no Sistema Sul.

Entre todos os complexos dos dois sistemas, apenas dois registraram alta na produção no ano: o de Paraopeba, onde está alocada a Mina do Córrego do Feijão, que rompeu no fim de janeiro, e o de Itabira. Neste, a produção de minério de ferro em 2018 foi 10,3% maior do que no ano anterior. Já em Paraopeba foi 3,8% superior.

Vendas

As vendas da Vale em 2018 totalizaram 365 milhões de toneladas. Foram de 308 milhões de toneladas de minério de ferro e o restante, cerca de 55 milhões de toneladas, em pelotas. O resultado foi 6,5% maior do que o verificado no ano anterior. No quarto trimestre, porém, houve queda de 1,8% em relação aos três meses anteriores.

Descontado resultado com pelotas, as vendas de minério de ferro registraram um recuo de 4,1% no último trimestre do ano na comparação com o trimestre anterior.

A venda de pelotas alcançou 56,5 milhões de toneladas no ano passado, mais do que os 55,3 milhões de toneladas produzidos no período. Somente no último trimestre, as vendas aumentaram 12,2%.

O relatório de produção da companhia mostra que a companhia vinha ampliando a produção de pelotas para atender a demanda. No ano, as vendas subiram 9,3%.

Fonte Oficial: EM.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.