A Positivo Tecnologia divulgou na manhã desta quarta-feira (2) a aquisição de 80% da fabricante de computadores (desktops e mini PCs) e servidores Accept, com planta industrial localizada em Ilhéus, na Bahia, em uma operação que pode chegar a R$ 51 milhões. A empresa adquirida também desenvolve soluções de computação para desenvolvimento de aprendizado profundo e inteligência artificial.

O valor da compra em si vai depender da lucratividade da Accept nos próximos cinco anos, segundo comunicado da Positivo Tecnologia. Será resultado de até 50% do lucro da Accept antes de imposto de renda e CSLL, apurado anualmente entre 2019 e 2023, limitado a um total de até R$ 51 milhões.

LEIA TAMBÉM: Futuro da Positivo Educação depende de vontade de seis famílias diferentes

Em 2017, a Accept viu sua receita crescer 37%. Para a Positivo Tecnologia, a aquisição representa complementaridade no portfolio de produtos e expansão de mercado. “Ofereceremos soluções mais completas aos nossos clientes e participaremos de oportunidades em computação na nuvem, big data e inteligência artificial”, afirmou o presidente da Positivo Tecnologia, Hélio Rotenberg, em comunicado.

“É uma negociação muito bem estruturada, com benefícios também para nossos clientes, funcionários, representantes e parceiros. Teremos ainda mais chances de crescimento e maiores condições de solucionar os desafios tecnológicos das empresas”, afirma o CEO da Accept Silvio Campos.

LEIA TAMBÉM: Na contramão de onda global, Brasil será o país que mais tributa empresas em 2019

A ideia é que a operação traga ganho de escala para as duas empresas e a possibilidade de entrada em novos nichos. A Accept terá os atuais administradores nas posições de CEO (Chief Executive Officer) e COO (Chief Operating Officer), ficando a cargo da Positivo Tecnologia a indicação do novo CFO (Chief Financial Officer).

Inicialmente, a marca da Accept também deve ser mantida.

Fonte Oficial: Gazeta do Povo

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.