Quarentena integra os protocolos necessários para o controle da disseminação do vírus em todo o mundo, mas agrava a situação econômica das empresas
(Arte: TUTU) 

A imposição da quarentena à população e ao comércio de forma repentina por causa do covid-19 fragilizou as empresas que não tiveram tempo de se preparar para esse período. A falta de planejamento e a queda brusca no faturamento e no fluxo de caixa ameaçam a sobrevivência de inúmeros estabelecimentos no Estado de São Paulo.

Para Francisco de La Tôrre, vice-presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a quarentena integra os protocolos necessários para o controle da disseminação do vírus em todo o mundo, mas agrava a situação econômica das empresas.

Saiba sobre os pleitos da FecomercioSP para impedir que a economia entre em colapso por causa do coronavírus:
Conheça todos os pedidos feitos aos governos municipal, estadual e federal
Governo de São Paulo prorroga quarentena sem apresentar plano para o setor de comércio e serviços
Setor de comércio e serviços demanda do Poder Público um plano pós-quarentena claro e urgente

“A quarentena, embora seja de suma importância nesse momento de pandemia, deixará um rastro longo e um impacto profundo na atividade econômica. Também entendemos que o Governo do Estado de São Paulo disponibilizou poucos recursos para o socorro das empresas e das populações mais carentes.Vivemos um momento mais grave do que o da Crise de 1929 [Grande Depressão] e diferente do que já passamos no Brasil nas últimas décadas. Temos uma crise de saúde e a crise econômica vem na cauda dessa primeira. Sem uma resposta rápida, a recuperação dessa crise será mais lenta do que a das anteriores”, explica La Tôrre.

A principal medida anunciada pelo Governo do Estado de São Paulo de injetar crédito para pequenas e médias empresas por meio do Banco do Povo Paulista e do Desenvolve SP. Além de aumentar o valor, é preciso reduzir a burocracia para que os empresários consigam acessar o crédito. Também é fundamental revisar a medida de adiamento do recolhimento do ICMS, que deveria ser estendida para empresas de todos os portes por seis meses.

Na esfera federal, a Entidade sugeriu a suspensão temporária por parte das empresas do recolhimento do FGTS e o acesso do trabalhador ao valor integral depositado na conta do FGTS. Porém, a FecomercioSP também destaca a necessidade da suspensão da cobrança de todos os tributos federais.

Ouça o podcast:

O conteúdo também está disponível aqui.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.