Contratos sob investigação somam mais de R$ 12 milhões.


publicado:
21/12/2018 14h34


última modificação:
21/12/2018 14h42

A Receita Federal, por meio da Coordenação-Geral de Pesquisa e Investigação (Copei), deflagrou na manhã da última quarta-feira (19), em conjunto com a Polícia Federal, a Controladoria-Geral da União (CGU) e a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (APEVISA), a “Operação Deadline”, com o objetivo de apurar irregularidades na aplicação de recursos federais em três prefeituras do estado de Pernambuco.

A investigação focou em notas fiscais para fornecimento de produtos farmacêuticos, nas quais foram constatados indícios de fraudes, bem como irregularidades concernentes a pagamentos por produtos entregues fora das condições pactuadas, superfaturamento, ausência de justificativa para os quantitativos contratados, prorrogações irregulares de contratos e ausência de controle de estoques, dentre outras.

Os contratos sob investigação entre as empresas e os três municípios, firmados de 2013 a 2018, somaram mais de R$ 12 milhões.

Foram autorizados pela Justiça Federal o cumprimento de 4 mandados de busca e apreensão, executados por 28 policiais federais, 7 auditores da CGU, 4 auditores da RFB e 14 técnicos da APEVISA.

O auditor-fiscal, chefe da Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho da 4ª Região Fiscal (Direp04), representou a Receita Federal na entrevista coletiva e explicou detalhes da investigação.

Fonte Oficial: Receita Federal

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.