Stay hungy, stay foolish — Steve Jobs

A frase acima é um lembrete de Steve Jobs à necessidade de estarmos sempre buscando mais, sempre com fome por uma próxima conquista (stay hungry) e ao mesmo tempo, sempre buscando aprender, sempre admitindo que não sabemos tudo e que podemos melhorar (stay foolish).

Quando Steve Wozniak foi a primeira pessoa na história a apertar uma tecla em um teclado e ver aquilo aparecer na tela, de certa forma, dando inicio ao que conhecemos hojes como computadores.

No momento em que aquilo aconteceu, ele não foi capaz de acreditar no que estava vendo, ele não acreditava que aquilo realmente estava funcionando, e correu para mostrar os resultados ao seu melhor amigo, Steve Jobs.

Jobs ficou admirado com o que está vendo, e imediatamente começou a pensar em todas as possibilidades, e a fazer perguntas a respeito do que poderia ser feito com aquilo.

Wozniak’s tinha um objetivo simples, ele queria dar aquele computador e planos sobre como fazer outros para os seus amigos no Homebrew Computer Club, mas Jobs sabia que aquela era uma invenção muito importante para ser simplesmente dada.

Ele viu uma oportunidade naquele momento.

Jobs foi capaz de perceber a revolução tecnologia que estava acontecendo ao seu redor, e que com aquele computador ele poderia criar uma empresa que tomaria a dianteira desse movimento. Assim, ele convenceu Wozniak a se tornar seu parceiro de negócios e juntos fundaram a Apple Computers.

Começando uma revolução

Woz e Jobs começaram a trabalhar no desenvolvimento do Apple I, seu primeiro modelo construído sob a nova marca, Woz desenvolveu o produto e Steve era responsável por conseguir pessoas interessadas em comprar.

Após uma apresentação ao vivo do novo produto, Steve conseguiu fechar um acordo de venda de 50 unidades do Apple I para uma pequena loja em Palo Alto. Uma excelente notícia, se não fosse o fato de que eles não tinham nem os componentes, recursos ou pessoas para suprir aquela demanda. Mas isso não importava para Jobs.

Ele então começou a atrair as pessoas para se juntar ao seu novo time. Convenceu seus amigos e Woz a trabalharem horas e horas após seus trabalhos do dia a dia para conseguir cumprir o contrato, e eles conseguiram.

Após isso Jobs teve a certeza de que havia encontrado algo especial, e era hora para levantar algum capital.

Ele passava horas e horas usando o telefone na casa dos seus pais conversando com investidores. Ele foi rejeitado dezenas de vezes. Jobs estava pedindo muito dinheiro, por pouquíssimo equity em um negócio extremamente arriscado.

Mas isso não o desencorajou. Ele sabia que era possível.

Então, após diversas rejeições ele finalmente conseguiu um investidor. Mike Markkula, um investidor que havia feito bastante dinheiro após investir na Intel, comprou 33% da Apple por $250.000 dólares.

Com o dinheiro de Markkula, a Apple Computer estava pronta para construir o produto que a colocaria definitivamente no mapa, o Apple II

O campo de distorção da realidade

A medida que a empresa crescia cada vez mais rápido, o estilo inconvencional de Jobs era colocado cada vez mais a mostra. Ele queria que todos os detalhes de todos os produtos fossem sempre perfeitos. Ele era obcecado pela qualidade e destratava os membros do seu time por entregarem o que ele considerava “shit work” (ou trabalho de merda).

O board administrativo da Apple então decidiu que ele não estava pronto para estar a frente da empresa como um todo, e o colocou para chefiar somente um produto; o Macintosh.

Ao se unir ao time do Macintosh, Jobs mostrou aquilo que era tanto seu melhor talento, quanto sua maior fraqueza — o seu campo de distorção da realidade. Para Jobs, tudo em sua mente não era somente possível, mas também, uma realidade.

Ele fazia com que os engenheiros entregassem algo que levaria mais de um ano para ser concluído em 6 meses. Pedia para que o time trabalhasse em suas visões quase insanas do futuro. E uma vez que eles começassem a trabalhar nas ideias malucas de Steve, eles viam que aquilo realmente poderia funcionar.

“Vocês fizeram o impossível, pois não sabiam que era impossível.”

A frase foi dita por Debby Coleman, uma das engenheiras no time do Macintosh. Ela foi uma das muitas pessoas inspiradas a questionar as regras do que conheciam sobre o mundo e sobre a computação.

Um exemplo clássico de como o campo de distorção de Jobs funcionava, foi quando ele passou a se sentir frustrado com o tempo que o Macintosh levava para ligar. Um dos engenheiros disse que era simplesmente impossível tornar aquilo mais rápido, Jobs então perguntou:

“Se o fato do Macintosh ligar 10 segundos mais rápido, pudesse salvar uma vida, você conseguiria fazer?”

O engenheiro em questão então reduziu o tempo para ligar em 27 segundos.

Durante anos, Jobs e seu time mudaram as regras conhecidas enquanto desenvolviam o Mac. Então, em 1984 eles lançaram o Macintosh para o público. Era um computador pessoal poderoso, amigável, e com um preço acessível para a população. Seu maior feito na época.

Porém, o campo de distorção possuía um lado negativo. Jobs não obedecia regras, tomava o crédito pelo trabalho de outras pessoas, e frequentemente se negava a assumir o que era real, até mesmo se negando a aceitar um teste de paternidade que provava que ele o pai.

Sua arrogância e gênio incontrolável acabaram irritando mais do que o limite do conselho da apple poderia suportar, fazendo com que em 1985 ele fosse expulso da própria empresa.

A mente dimensional

Steve Jobs possuía diversas falhas. Ele era arrogante, insensível e bastante frio mesmo com pessoas próximas em sua vida.

Porém, os motivos que faziam ele agir dessa forma, era os mesmos que permitiam que ele revolucionasse o mundo, o tornando um lugar melhor. Ele acreditava que as regras normais, não se aplicavam a ele.

As regras sobre computadores serem somente ferramentas de trabalho, não se aplicavam. As regras sobre o que um engenheiro poderia fazer não se aplicavam. E quando ele voltou ao comando da Apple, 12 anos após ser expulso, as regras sobre como reerguer uma empresa que parecia fadada a terminar, também não se aplicavam.

Mas você precisa se tornar uma pessoa fria, arrogante e megalomaníaca para desenvolver a sua criatividade?

A resposta é não! O núcleo da criatividade de Steve Jobs vinha da “Mente Dimensional.”

A Mente Dimensional é aquela que está aberta, sempre buscando aprender e que não se prende as noções pré concebidas do que é possível ou não.

Esse era o Mindset que permitia que Jobs visse o mundo de uma forma diferente. E assim como os times que trabalhavam com ele na Apple, você também o pode desenvolver.

Como desenvolver a criatividade de Steve Jobs

A Mente Dimensional é uma reflexão de como víamos o mundo quando éramos crianças, voltar a ver o mundo dessa forma, abre um mundo de possibilidades.

Abaixo você pode ver algumas formas comprovadas de desenvolver a criatividade que Jobs possua com sua mente dimensional, sem a sua arrogância.

1 Pratique a curiosidade

Você provavelmente acredita que muitas coisas ao seu redor sejam garantidas e fixas. Enxerga um carro como somente um carro, um computador como um computador e um celular como um celular. Mas da onde essas coisas vieram? Como elas funcionam?

Quando você era uma criança você costumava fazer perguntas assim. Da onde algo veio? Como funciona? Por quê é assim? Não pode ser de outra forma?

Você era curioso sobre tudo a sua volta, e isso treinava o seu cérebro a ser mais aberto e a absorver mais conhecimento.

Mas a medida que você envelheceu, você perdeu parte dessa capacidade, na verdade, você foi condicionado a questionar menos e aceitar mais.

Reserve de 10 a 15 minutos todos os dias para observar o mundo a sua volta e ser mais curioso.

Veja tudo o que te cerca e simplesmente se pergunte “Por quê?”, da mesma forma que uma criança faria, questione, somente por questionar. Você só precisa abrir sua mente a questionar os padrões existentes.

2 Medite

Existem poucas formas melhores de treinar o seu cérebro do que a meditação. Uma das melhores coisas sobre meditar é como isso afeta seu cérebro positivamente, ajudam a ter maior clareza de pensamentos e reduzir o stress.

Jobs viajou pela India durante sua juventude onde aprendeu muito sobre Zen e espiritualidade, porém ele não foi muito feliz na aplicação dos conceitos no lado humano.

A meditação vai te ajudar não só a entender melhor as questões criadas pela sua curiosidade, como a se relacionar melhor com as pessoas a sua volta, ajudando a reduzir os efeitos negativos da distorção da realidade de Jobs.

3 Suprima seu ego na hora de tomar decisões

Você não é suas ideias. Temos uma tendência natural de nos apegarmos a nossas ideias, isso é ainda mais forte entre empreendedores iniciantes, ou pessoas que pela primeira vez estão criando algo.

Mas a verdade é que isso pode ser um problema. Suas ideias serão confrontadas com a realidade e por outras pessoas, e ao se apegar muito a elas, você pode sentir como se aquele confronto fosse a você e não suas ideias, tornando o processo de aprendizado e melhora muito mais difícil.

Por isso, aprenda a controlar o seu ego e separar a sua imagem da suas ideias.

4 Julgue menos

Existe uma grande chance de que se alguém te apresentasse o conceito do Uber a 10 anos atrás, você achasse isso algo ridículo, porém hoje a empresa é uma das maiores do mundo.

A medida que perdemos nossa curiosidade natural e nossa capacidade criativa, passamos a julgar o que é diferente, e isso limita o quão inovadores podemos ser.

Muitas ideias são aparentemente idiotas no seu começo, e com isso acabamos também julgando as pessoas que surgem com essas ideias.

É preciso que você identifique quando estiver fazendo isso e não faça mais. Pare de julgar as ideias e pessoas a sua volta, ao invés disso, procure entender a situação como um todo, pergunte-se como aquilo poderia ser melhorado e adaptado, isso definitivamente terá consequências positivas.

5 Seja consciente das suas decisões

Gostamos de nos ver como animais racionais, porém 45% das nossas decisões são tomadas de forma automática e subconsciente.

O que você decide comer? Ou qual roupa usar? Essas questões são respondidas em uma espécie de piloto automático, e tudo bem ser assim, afinal, você não precisa tomar cada decisão de forma reflexiva.

Porém, no trabalho é importante que você comece a questionar mais as suas próprias decisões e reflita sobre elas. Não assuma que por algo ter funcionado antes ele vai funcionar novamente, pense e reflita se não existe uma forma melhor.

Ao tomar decisões de forma automática você está essencialmente se fechando a criatividade e inovação. Por isso é importante que você comece a praticar e se torne mais consciente das decisões que está tomando.

Conclusões

Jobs sem sombra de dúvidas era uma pessoa fora da curva. Sua criatividade e capacidade de inspirar os outros eram incríveis, porém isso tinha um preço.

As dificuldades em manter relacionamentos, e mesmo a apropriação indevida do trabalho de outros são pontos muito problemáticos para pessoas que querem se desenvolver tanto pessoal, quanto profissionalmente.

Não serei aqui um mentiroso e falar que esse texto vai te ensinar a ter o mesmo poder criativo que Steve Jobs possuía, porém as dicas que dei aqui, vão te ajudar e muito a ampliar a sua criatividade.

Ao colocar esses conceitos em práticos, você terá um boom na sua capacidade de entender o mundo a sua volta e de criar em cima disso. Agora, mãos a obra.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.