Neymar Jr. finalizou, no último domingo (10), o período de avaliação médica no Hospital Aspetar, em Doha, no Catar e está de volta a Paris para continuar o tratamento da lesão no quinto metatarso do pé direito, sofrida no dia 23 de janeiro deste ano. A equipe que acompanha o atleta ficou satisfeita com os resultados. Segundo o preparador físico Ricardo Rosa e o fisioterapeuta Rafael Martini, o desempenho “foi além do esperado fisica e clinicamente”.

+ Como copiar o look amarelo total de Neymar
+ Neymar comemora aniversário de 27 anos em Paris

Neymar Jr. fez testes, avaliações físicas e clínicas complementares, como exames de raio x, tomografia, ressonância e ultrassonografia. Os exames são parte do processo para avaliar a recuperação da lesão.

Neymar Jr. (Foto: Foto: Divulgação)

“Os resultados são excelentes, sendo alguns até acima da média para futebolistas. Então, a ideia é seguir evoluindo conforme a liberação do departamento médico até a fase de treinamento sem restrições. Na parte física, fizemos avaliações e sessões de treinamento, sendo uma delas de força e outra focada na parte metabólica”, explica Ricardo Rosa.

Rafael Martini acrescenta ainda que, clinicamente, Neymar Jr está bem. O atacante não sente dores ou se queixa das atividades que têm desenvolvido nos tratamentos e treinos diários. Segundo Martini, esses pontos indicam uma evolução positiva.

“Claro que ainda temos algumas restrições porque temos que respeitar a fase da recuperação em que ele se encontra, mas dentro do que é possível ser feito, ele tem feito com excelência e sem nenhum problema”, explica o fisioterapeuta.

Apesar do nítido progresso, a equipe prefere manter cautela em relação a prazos para que Neymar Jr. volte aos gramados, já que se trata de uma “refratura”. O atleta do Paris Saint-Germain segue o tratamento ao longo da semana na capital francesa.

Neymar Jr. (Foto: Foto: Divulgação)
Neymar Jr. (Foto: Foto: Divulgação)

Fonte Oficial: GQ

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.