A Federação acredita que a recuperação será lenta e a recomendação é que os empreendedores busquem alternativas para manter a liquidez e o fluxo de caixa
(Arte: TUTU)

Com a reabertura do comércio em algumas regiões do Estado de São Paulo na última semana, a FecomercioSP atualizou as estimativas de vendas para o mês de junho, no entanto, a expectativa ainda é de queda, de 20% em relação ao mesmo período do ano passado. Isso porque as famílias tiveram suas rendas reduzidas devido à alta do desemprego e do endividamento, com a intenção de consumo encolhida e focada apenas em produtos essenciais, como alimentos e remédios. Assim, não deve haver tanta procura para presentes no Dia dos Namorados, e com isso o prejuízo pode ultrapassar R$ 11 bilhões.
 
Já no primeiro semestre de 2020, o recuo deve ser de aproximadamente 11%, consequência do fechamento de parte do comércio não essencial no período de quarentena nos meses de março, abril e maio. O segmento de vestuário, que costuma apresentar altas em junho em virtude da compra de presentes para os namorados, tende a um recuo de 44% nas vendas e prejuízo de até R$ 2,2 bilhões. No acumulado do ano, a queda deve ser de 28%, refletindo também a baixa nas vendas no Dia das Mães.

Saiba mais sobre o assunto:
Comércios podem voltar a atender de forma presencial na capital paulista
Governo atualiza calendário de retomada das atividades consideradas não essenciais no Estado
Baixe aqui o ebook com as orientações sanitárias para a reabertura das empresas

Para a Federação, com a retomada gradual e faseada, respeitando as condições regionais, a recuperação deverá se dar de forma muito lenta, em que a grande parte do varejo não está operando de forma plena ao longo do mês, limitando, portanto, as vendas no Dia Dos Namorados. Além disso, a estrutura do comércio varejista também voltou debilitada, com quadro reduzido de funcionários, endividamento, baixa liquidez e níveis de estoques inadequados.
 
Dicas aos empresários
A Federação orienta que os empreendedores busquem alternativas para manter a liquidez e o fluxo de caixa, com rigor para evitar endividamento e excesso. Para isso, recomenda-se fazer um levantamento de estoque, diminuir a margem de lucro e realizar promoções.
 
Esse período de retomada é o momento de pequenos comerciantes se unirem, fazendo parcerias com produtos relacionados e combos,  e compartilhando mercadorias por consignação. Além disso, existe a possibilidade realizar encomendas conjuntas com os fornecedores, a fim de chegar a preços mais atrativos.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.