A Lyft registrou,  nesta quinta-feira (6), seus documentos na SEC, principal órgão regulador do mercado de ações dos Estados Unidos. Este é o primeiro passo para fazer o IPO, a oferta pública inicial, da Lyft.

É um grande passo no que é considerado uma corrida para a abertura de capital entre a Lyft e sua maior concorrente, a Uber. A Uber está considerando fazer o seu IPO no ano que vem.

A Lyft não elaborou preços, número de ações ou avaliação segmentada. Esses detalhes virão depois que a SEC concluir sua revisão. A oferta real provavelmente virá no começo do ano que vem. A empresa foi avaliada recentemente em US$ 15 bilhões. A oferta pública poderia aumentar esse número.

Com o anúncio da Lyft, os analistas do mercado de ações afirmam que a empresa poderia abrir o seu capital no primeiro trimestre do ano que vem. É improvável que o Uber chegue à bolsa de valores até o meio de 2019, no mínimo.

Os bancos que devem assessorar a Lyft são Credit Suisse, JPMorgan e Jefferies. A Lyft não confirmou a informação.

O Lyft arrecadou US$ 563 milhões em receita durante o terceiro trimestre – acima dos US $ 300 milhões no mesmo período um ano atrás. Também no terceiro trimestre, a empresa registrou perdas, aumentando para US$ 254 milhões, ante US$ 195 milhões, no mesmo período há um ano. A empresa espera ter uma receita anual de US $ 10 bilhões a US $ 11 bilhões.

A Uber, que ainda é a maior empresa do mundo neste setor, também está trabalhando para um IPO no ano que vem. Sua avaliação poderia facilmente ofuscar a oferta da Lyft, com uma meta de US $ 120 bilhões. A empresa, no entanto, tem mantido em sigilo os seus planos para o IPO.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.