A chinesa Huawei apresentou nesta sexta-feira (9) o seu sistema operacional próprio, batizado de Harmony OS. Multiplataforma, ele tem foco em Internet das Coisas (IoT) mas também funciona em dispositivos como smartphones, tablets e computadores. Atualmente, os aparelhos da marca chinesa usam o Android, sistema operacional do Google.

A previsão é que o Harmony OS esteja em computadores e smartwatches da marca já no ano que vem.  Em 2021, objetos como alto-falantes inteligentes e fones de ouvido receberão o sistema. No ano seguinte, ele deve chegar para aparelhos de realidade virtual. Como a IoT estará em outros dispositivos conectados (como carros, casas e eletrodomésticos), o sistema operacional deve ser adotado ainda mais amplamente no futuro.

As capacidades específicas, bem como a aparência do Harmony OS ainda vão ser reveladas ao público pela Huawei. No entanto, a empresa afirma – sem dar qualquer prova – que o sistema é mais poderoso e seguro que a concorrência.

Contexto global

Hoje, os celulares da Huawei ainda funcionam com o Android. No entanto, a fabricante chinesa está no centro da disputa comercial entre EUA e China e foi inclusive acusada de espionagem comercial pelos norte-americanos. A resposta da administração de Donald Trump foi colocar a Huawei em uma “lista negra” do comércio, impedindo que o Google fornecesse a versão completa do Android a ela.

Desde então, as sanções foram adiadas após reunião de reaproximação entre os presidentes Trump e Xi Jinping. Inclusive, Liang Hua, presidente da Huawei, disse que o Android “ainda é sua primeira opção” e que o novo sistema operacional seria voltado a dispositivos de IoT.

No entanto, a disputa comercial e tecnológica entre os dois países voltou a esquentar nas últimas semanas.  Foi revelado que a Huawei ajudou a Coreia do Norte a montar seu sistema de internet sem fio, contrariando sanções internacionais dos EUA.

Como não se sabe como ficará a relação entre empresas das duas potências globais no futuro, a Huawei se precavê com um sistema operacional único para todos seus produtos. “Nós apoiamos o Android, mas, se não pudermos usá-lo no futuro, podemos migrar imediatamente para o Harmony, talvez em um ou dois dias”, afirmou Richard Yu, executivo da Huawei.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.