As atividades de serviços médicos, odontológicos e sociais, serviços de alojamento e alimentação e serviços administrativos e complementares foram as que mais abriram postos de trabalho
(Arte: TUTU)

O investimento na geração de emprego no setor de serviços paulista tem de ser planejado tendo em vista os ambientes externo e interno. O primeiro se refere ao desempenho nacional, dos indicadores macroeconômicos e de desempenho das vendas do setor, e o segundo tem relação com a capacidade financeira da empresa em aplicar recursos em médio e longo prazos.

Nos primeiros 11 meses de 2018, o aumento nas vendas e o otimismo nas projeções futuras elevaram a criação de vagas no setor. Mais de 170 mil vagas foram preenchidas nos serviços paulistas no acumulado do ano, o que torna esse o melhor período desde 2014. O resultado é 166% superior ao registrado nos 11 primeiros meses de 2017.

Veja também:
Após aumento de empregos em novembro, varejo deve avaliar quadro funcional para 2019
Atacado precisa avaliar o quadro de mão de obra em relação à demanda dos clientes
Faturamento do varejo paulista cresce 6,4% em outubro e atinge R$ 58,7 bilhões

Os dados da Pesquisa de Emprego no Setor de Serviços do Estado de São Paulo (PESP Serviços), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), mostram que os setores educacionais (32.228 vagas), administrativos (35.197 vagas) e serviços médicos, odontológicos e sociais (30.347 vagas) se destacaram. Especificamente nesses três grupos, destacaram-se as atividades do ensino fundamental (7.391 vagas), serviços de apoio a edifícios (5.968 vagas) e atendimento hospitalar (9.066 vagas).

Apenas em novembro, 12.897 empregos com carteira assinada foram gerados no setor de serviços – resultado de 172.539 admissões e 159.642 desligamentos. Com isso, o estoque ativo do setor ficou em 7.472.775 vínculos, maior patamar desde novembro de 2015.

No mês, as atividades de serviços médicos, odontológicos e sociais (2.277 vagas), serviços de alojamento e alimentação (3.110 vagas) e serviços administrativos e complementares (6.332 vagas) foram as que mais abriram postos de trabalho. Destaque às atividades de atendimento hospitalar (816 vagas), restaurantes (2.209 vagas) e de locação de mão de obra temporária (2.135 vagas).

Desempenho regional
Em 11 das 16 regiões paulistas, houve mais admissões que desligamentos no setor de serviços. Por número de vagas os melhores resultados são da capital (7.402 vagas) e da região de Osasco (2.606 vagas). No ano, todas as regiões sentem aumento de postos de trabalho.

Ao analisar os dados da capital, verificou-se a geração de 7.402 vagas no mês de novembro. Os dois grupos de atividades que mais se destacaram foram os serviços administrativos (3.749 vagas) e os serviços médico, odontológicos e sociais (1.112 vagas).

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.