Renata Ricci (à direita) diz que peça ” nos desperta para tentar levar as coisas da melhor maneira possível”
(Arte: Tutu sobre imagem de divulgação)

Por Eduardo Vasconcelos

Antes de subir ao palco para interpretar uma atriz aposentada cuja memória caducante a faz acreditar que ainda é uma estrela no auge da carreira, Renata Ricci saiu maravilhada do teatro após acompanhar uma apresentação do musical Forever Young. “Quando assisti ao espetáculo, fiquei encantada. Dei um jeito para ser apresentada ao produtor e lhe disse que gostaria de participar, que eu conhecia essa velhinha. Duas semanas depois, quando uma atriz precisou se retirar, fui convidada para o papel”, conta.

Renata faz parte do atual elenco do musical que está em sua terceira temporada no Teatro Raul Cortez, na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A comédia se passa no ano de 2050 e traz seis atores interpretando a si mesmos com mais de 85 anos. Eles passam os dias lidando com as dificuldades típicas do envelhecimento em um retiro para artistas, onde são forçados por uma enfermeira a cantar músicas que não lhes agradam. Quando ela sai de cena, os velhinhos se divertem com hits de sua juventude – sucessos do rock da década de 1960 ao início dos anos 2000.

Veja também
“Forever Young” abre terceira temporada no Teatro Raul Cortez com casa cheia
“Forever Young” reestreia no Teatro Raul Cortez para curta temporada
Com Heloísa Perissé, espetáculo “Loloucas” chega ao Teatro Raul Cortez em abril

Embora seja a quinta atriz a interpretar a personagem, Renata se sente completamente identificada com o papel. “Cada velhinho tem uma deficiência que a idade traz. A minha está num mundo de imaginação e, assim, ela visualiza a plateia no teatro, a plateia que ela teve a vida inteira. Então, ela quebra a quarta parede e agradece. Por isso eu digo que sou essa velinha, eu a entendo”, assegura a atriz.

A montagem, cuja primeira temporada foi encenada no Teatro Raul Cortez em 2016, soma mais de 300 apresentações pelo País, para um público que supera 100 mil pessoas. Com larga experiência em musicais, Renata diz que Forever Young “tem uma preciosidade” vista em poucas comédias.

“O espetáculo fala sobre a finitude das coisas e da vida e nos faz olhar para isso com muito bom humor. A finitude vai chegar para todos. Então, vejo que a peça nos desperta para tentar levar as coisas da melhor maneira possível, para que tenhamos a diversão desses velhinhos e que possamos dar àqueles que estão ao nosso lado esse carinho de que precisam”, reflete. “Falo para todo mundo: amo todas as peças que faço, mas essa, em específico, vocês têm de ver”, complementa.

Também fazem parte do elenco Janaina Bianchi, Will Anderson, Felipe Catão, Ton Prado e Fernando Zuben – este último no papel do Maestro, responsável por tocar o piano ao vivo. A enfermeira é interpretada por Marya Bravo.

Com direção de Jarbas Homem de Mello, Forever Young fica em cartaz no Teatro Raul Cortez até 31 de março, com sessões às sextas, às 21h30; aos sábados, às 21h; e aos domingos, às 18h. A peça tem duração aproximada de 100 minutos. A classificação é 10 anos.

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro – de terça a quinta, das 15h às 20h; e de sexta a domingo, das 15h até o início do espetáculo – ou pelo site Ingresso Rápido.

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.