Especialista também comenta sobre as mudanças no comportamento provocadas pela pandemia ao longo de 2020
(Arte: TUTU)

O varejo paulista vai deixar de contar com R$ 34,2 bilhões em 2021 provenientes do auxílio emergencial. Este foi o montante gasto em consumo no ano passado que teve como origem o benefício pago para milhares de famílias, sendo o responsável pelo aumento de 1,6% do faturamento do setor, caso contrário o varejo teria amargado queda de 2,6%.

Apesar da expectativa de queda nas vendas neste ano como reflexo do fim do auxílio, Altamiro Carvalho, assessor econômico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), fala ao podcast da Entidade que outras variantes vão influenciar os resultados deste ano, como o controle da dívida fiscal que mexe com a confiança dos investidores. “Os sinais de 2021 não dependem exclusivamente da injeção ou não de recursos emergenciais, mas, basicamente em primeiro lugar, do comportamento da pandemia ao longo deste ano, e, em função do próprio nível de emprego da economia”, explica.

Saiba sobre outras ações que afetam o varejo
Medidas anunciadas que beneficiam comércio paulista atendem a pedidos da FecomercioSP
Varejo brasileiro deve deixar de faturar R$ 15,8 bilhões com feriados em 2021
Empresários só têm a ganhar com o uso do PIX nos estabelecimentos e no e-commerce

Carvalho também comenta sobre as mudanças no comportamento provocadas pela pandemia e sobre a alta em alguns segmentos significativa ao longo de 2020. “O auxílio emergencial ao mesmo tempo em que foi fundamental, ele também provocou uma mudança no perfil de consumo das atividades varejistas, ou seja, supermercados, farmácias e materiais de construção passaram a ter um protagonismo muito maior no desempenho varejista  do que as demais atividades que foram restringidas por causa de controle da contaminação da pandemia”, afirma.

Ouça o podcast

O conteúdo também está disponível no Spotify e no Apple Podcasts.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.