(Foto: Shutterstock)

*Este relatório foi feito pela empresa Passfolio e cedido ao Portal do Bitcoin.

Como evidenciado no artigo sobre as novas exchanges brasileiras de 2018, que escrevi para o blog da Passfolio, a quantidade de exchanges de criptomoedas brasileiras cresceu quase 200% no último ano, chegando a um total de 35.

Em meio a tantas plataformas disponíveis para comprar bitcoins e outras criptomoedas, a decisão sobre qual escolher pode ser uma tarefa complicada. Para facilitar a comparação entre todas as exchanges brasileiras, elaborei esse guia definitivo que irá ajudá-lo a escolher qual delas utilizar.

Seja você um investidor iniciante, que acaba de entrar no mercado, ou experiente, já tendo testado algumas exchanges por aí, este guia tem como objetivo esclarecer dúvidas sobre diferentes variáveis que devem ser levadas em conta nessa decisão. As informações aqui apresentadas foram coletadas durante o mês de janeiro de 2019, e você pode conferir toda a metodologia da pesquisa ao final do artigo, com acesso, inclusive, aos dados coletados.

Esta é a primeira parte de um guia completo sobre as melhores exchanges de criptomoedas do Brasil. Fique ligado nos próximos dias para acompanhar a continuação nos próximos artigos!

Qual exchange é melhor?

Quais são os atributos principais na hora de se escolher uma exchange de criptomoedas no Brasil? O que os investidores iniciantes e avançados buscam?

Analisei mais de 30 variáveis de 35 exchanges brasileiras para elaborar este guia comparativo e responder essas perguntas. Tais variáveis foram agrupadas entre si e formaram as 5 categorias principais abaixo:

  1. Liquidez
  2. Custo
  3. Experiência do usuário
  4. Segurança
  5. Funcionalidades

A ordem das categorias não é relevante, pois todas possuem peso igual nesta comparação. Para cada uma delas, foi atribuída uma nota de 1 a 5 com base nas variáveis analisadas, as quais serão explicadas posteriormente.

Nesta primeira parte desta série de artigos, focaremos na primeira categoria analisada na pesquisa: a liquidez. Ao final dessa série, você poderá conferir um infográfico interativo e comparar os atributos de todas as exchanges brasileiras!

Liquidez nas exchanges brasileiras

Quando você quer comprar ou vender Bitcoin, você quer fazer isso ao melhor preço possível e de forma rápida. A exchange deve facilitar esse processo para você, oferecendo os melhores preços para qualquer quantidade que você desejar comprar ou vender. Se você procura liquidez, as melhores exchanges para isso são o Mercado Bitcoin, a BitcoinTrade e a Foxbit.

Para melhor visualização, as demais exchanges abaixo da 24ª posição não foram listadas

A liquidez, segundo Rafael Seabra, é a facilidade com que um ativo pode ser convertido em outro. Ou seja, quanto mais rápida essa troca puder ser feita, mais liquidez um ativo terá. No caso das criptomoedas, a facilidade de trocar o Bitcoin, por exemplo, por reais, depende da quantidade de pessoas dispostas a fazer essa troca em uma exchange.

Como as exchanges atuam como intermediárias nesse processo de troca, aquelas que possuem mais usuários ativos possuem as maiores chances de oferecerem a maior liquidez, pelo fato de existirem mais pessoas dispostas a realizar essa operação por preços e quantidades diferentes. Se você quiser comprar 10 bitcoins, por exemplo, pode ser que não existam pessoas suficientes querendo vender toda essa quantidade a um preço bom para você. Com certeza existirão pessoas dispostas a vender 10 bitcoins por um preço 2 vezes maior que o de mercado, mas isso não seria interessante, certo?

Assim, a liquidez pode ser avaliada em uma exchange de criptomoedas a partir de seu volume de negociação. Se uma exchange possui um alto número de bitcoins negociados nas últimas 24 horas, por exemplo, é mais provável que ela possua mais usuários ativos naquele período, que contribuem para que as ordens do livro de ofertas* sejam executadas mais rapidamente.

  • *O que é o livro de ofertas? O livro de ofertas de uma exchange é uma lista de todas as ordens de compra e venda que foram abertas pelos usuários. É uma relação das quantidades e preços pelos quais os usuários estão dispostos a comprar ou vender uma criptomoeda. O livro é populado à medida que os usuários enviam ordens a preços diferentes do mercado atual, de forma que tais ordens não são executadas automaticamente e ficam “à espera” de serem executadas, classificadas entre si de acordo com as melhores ofertas.

Muitas exchanges, porém, podem apresentar volumes de negociação altos, embora seu número de usuários ativos seja baixo. Mesmo com volumes altos, isso pode significar que a exchange não possui uma liquidez tão boa, porque o seu volume estará vinculado a operações OTC* ou a bots* internos.

  • *O que são operações OTC? Por definição, as operações OTC (over-the-counter) são operações de compra e venda de criptomoedas em grande volume realizadas fora das plataformas de negociação. As mesas de operações fazem a intermediação das negociações entre vendedores e compradores que desejam negociar grandes valores, oferecendo um preço fixo para o valor total da operação, provendo maior liquidez para grandes quantidades. Embora contraditório, operações OTC podem ser realizadas nas plataformas, quando ambas as partes combinam as quantidades e os preços das ordens a serem colocadas no livro de ofertas e as executam por lá. Esta, porém, não é uma prática aceitável no mercado.
  • *O que são bots? Também chamados de “robôs”, são operações automatizadas por API realizadas nas plataformas de negociação. Os bots podem ser configurados para seguirem uma determinada estratégia, comprando e vendendo automaticamente diferentes criptomoedas. Algumas plataformas de negociação podem utilizar bots internos para prover maior liquidez aos seus usuários.

Por isso, é importante comparar o volume de negociação com o número de usuários que o site da exchange recebe. Será que o volume de determinada exchange condiz com o número de usuários que a acessam? O gráfico abaixo evidencia isso:

A linha de tendência em azul evidencia o padrão esperado da relação entre volume negociado e visitas mensais no site das exchanges. Pontos fora desse padrão podem ser indicações de que o volume de determinada exchange advém de poucos usuários ou de bots internos, como mencionado. Por isso, é importante também analisar a profundidade do livro de ofertas das exchanges como um indicador de liquidez, isto é, a quantidade de ordens de compra e venda disponíveis a todo momento.

Sendo assim, as notas atribuídas às exchanges brasileiras com relação à sua liquidez foram calculadas de acordo com as variáveis “volume” e “visitas mensais no site“. Tais variáveis foram classificadas de 1 a 5 de acordo com seus desempenhos, e foi calculada uma média entre as duas para chegar à nota final. Você pode conferir todos os dados coletados para esta parte da pesquisa neste link. Na planilha, há mais informações sobre cada variável e suas formas de cálculo.

Fonte Oficial: Portal do Bitcoin

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.