O clima ruim que interrompeu o plantio no meio-oeste norte-americano só está agravando a pressão sobre os agricultores do país, em um ano que, segundo muitos produtores, já é considerado o mais difícil enfrentado até o momento.

Essa é sua matéria grátis do dia. Assine agora e tenha acesso ilimitado.R$ 0,99 no 1º mês

Uma pesquisa conduzida pela agência Farm Futures mostrou que 53% dos agricultores entrevistados disseram que 2019 é o pior ano que eles enfrentaram – o que inclui até os mais veteranos, que viveram a crise agrícola dos anos 1980. O estudo ouviu 711 produtores rurais dos EUA entre os dias 21 de julho e 3 de agosto.

Aqueles que já sofrem
com anos de preços baixos nas safras agora lutam também contra a perda dos
mercados de exportação, conforme a guerra comercial entre o presidente Donald
Trump e o maior comprador de soja do mundo, a China, se arrasta. A dívida agrícola
este ano deve crescer 3,9%, para US$ 427 bilhões, de acordo com o Departamento
de Agricultura dos EUA (USDA). No ano passado, o endividamento já estava no
nível mais alto desde 1984.

“Os agricultores americanos hoje sofrem tanto ou mais do que na época da crise agrícola, desta vez por causa dos padrões climáticos extremos de 2019”, afirma Holly Spangler, editora-executiva da Farm Progress e editora da Prairie Farmer.

As tensões
aumentaram na semana passada durante a excursão anual de safra Pro Farmer
Midwest, com o USDA retirando sua equipe do evento depois que um funcionário do
governo foi ameaçado. A ameaça veio de alguém não envolvido na turnê. Em uma reunião acalorada em Grand Island, no Nebraska,
os produtores questionaram os organizadores da excursão e o USDA sobre a
metodologia do governo na determinação da área plantada e dos rendimentos.

Produtores mais jovens sofrem mais

Dois terços dos
agricultores entrevistados na pesquisa concordaram que as perturbações
climáticas estão agravando as pressões financeiras. A pesquisa também descobriu
que os produtores mais jovens são mais propensos a ficarem em apuros, já que geralmente possuem
menos terras e são menos seguros financeiramente.

A preocupação também está correlacionada à capacidade de plantio dos produtores. Os agricultores com maior dificuldade relataram que não foram capazes de semear uma porcentagem maior de seus acres do que a média dos produtores. Conforme relatório do Departamento de Agricultura, nesta temporada os EUA deixaram de semear 11,2 milhões de acres de milho e 4,35 milhões de acres de soja – um recorde.

Fonte Oficial: Gazeta do Povo

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.