A mais nova edição da revista conta como a educação a distância trás a acessibilidade para a população brasileira.
(Arte:TUTU) 

Neste momento de isolamento social como uma medida essencial de sobrevivência, a tecnologia é a alternativa mais viável para as pessoas continuarem seguindo suas vidas com a rotina totalmente alterada. Em casa, as pessoas estão trabalhando, estudando e cumprindo seus compromissos de maneira remota. A educação a distância já vinha, há tempos, tornando-se uma grande alternativa para os brasileiros, tornando o conhecimento mais acessível – o tema é capa da revista Problemas Brasileiros, publicada bimestralmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), e que agora tem uma novidade: está sendo vendida digitalmente. Saiba mais aqui

A edição de abril-maio mostra como esse avanço tecnológico trouxe a inclusão para as pessoas que mudaram o rumo de suas vidas por intermédio tanto da educação como do conhecimento. A matéria ainda conta com as opiniões  de especialistas e profissionais da área da educação que debatem as vantagens e as desvantagens do crescimento do EAD.

Veja também: 
Ouça: Especialista dá dicas para empresas implantarem o esquema home office
Banco de bolso: oferta de serviços digitais já determina a dinâmica desse mercado, avalia Juliana Guimarães

A publicação também conta com uma entrevista sobre democratização do acesso aos serviços financeiros com a diretora-executiva do banco digital BS2, Juliana Guimarães.

Por fim, a revista, que conquistou em 2019 o prêmio Aberje na categoria de Mídia Impressa, comemora o centenário de nascimento da escritora Clarice Lispector, renomada autora conhecida por livros como A Hora da Estrela, publicado em 1977. 

Esses e outros assuntos você encontra na revista Problemas Brasileiros na edição n.º457, que pode ser encontrada em bancas, livrarias e agora também em bancas digitais.

Compre a PB aqui.

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.