A empresa Crispr Therapeutics AG – que utiliza a tecnologia de edição genética homônima – realizou seu primeiro tratamento em humanos. Em parceria com a farmacêutica Vertex Pharmaceutials Inc, a companhia tratou um paciente com beta-thalassemia, um tipo de doença hereditária sanguínea.

Segundo a empresa, o paciente foi tratado com uma terapia genética chamada CTX001, criada a partir do Crispr. Como consequência, as ações da empresa subiram mais de 6,82% nesta segunda-feira (25), atingindo US$ 38.

“Tratar o primeiro paciente desse estudo marca a importância científica e um marco histórico na medicina. É o início dos nossos esforços para realizar completamente a promessa da terapia CRISPR como uma nova classe de medicina com potencial transformador para tratar doenças sérias”, disse o chefe de operações da Crispr, Samarth Kulkarni, no anúncio.

A polêmica CRISPR

O CRISPR se tornou um alvo de polêmicas desde o ano passado, quando um cientista afirmou ter editado geneticamente dois bebês para se tornarem imunes ao HIV. O chinês He Jiankui foi criticado pela comunidade médica internacional.

Os estudos começaram em 2017 e alguns dos participantes afirmaram que achavam que estavam participando de uma pesquisa para vacina contra o HIV. Esse caso levou à proibição da edição genética com CRISPR na China. Agora, foi descoberto que, além de alterar geneticamente os genes dos bebês, He Jiankui pode ter alterado também suas capacidades cognitivas.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.