Serviços, transferências governamentais e exportações têm sustentado a economia, avalia conselho
(Arte/Tutu)

Apesar de ter surpreendido positivamente no primeiro trimestre, a economia deve enfrentar um cenário complicado na segunda metade do ano. Além disso, a política da Petrobras de preços dos combustíveis se tornou uma crise, da qual não há saída fácil, para o atual governo. Contudo, dificilmente um candidato da terceira via conseguirá conquistar o eleitorado a tempo do primeiro turno da eleição presidencial.

Estas são algumas observações feitas pelos membros do Conselho de Economia Empresarial e Política (CEEP), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), na edição de junho do podcast do colegiado.

Saiba mais sobre o cenário político-econômico
Entenda como os fatos políticos impactam o ambiente de negócios
Brasil tem recorde de pessoas trabalhando: qual é a real situação do emprego no País?
“Ponto a Ponto”: FecomercioSP lança boletim trimestral com orientações para a tomada de decisão empresarial

No primeiro bloco, o economista Antonio Lanzana, copresidente do CEEP, avalia que a economia vem mostrando um desempenho melhor do que o esperado, em razão da retomada do setor de serviços, das transferências governamentais e das exportações. Todavia, tendo em vista a inflação elevada e os juros em alta, Lanzana indica que se deve ter cautela com as expectativas para o segundo semestre.

“Um fator que preocupa neste conjunto de dados é uma queda muito forte na produção de bens de capital. Isso significa que não teremos crescimento relevante mais para a frente”, projeta o economista.

No segundo bloco, o cientista político Paulo Delgado, também copresidente do CEEP, comenta a nomeação de Caio Paes de Andrade para o cargo de presidente da Petrobras, estatal que tem sido alvo de críticas do governo em razão da política de preços dos combustíveis. O executivo é o quinto administrador indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para chefiar a petroleira.

“É muito difícil só com palavras, agressões e ofensas à presidência da Petrobras resolver um problema que é estatutário e precisa de mudança de lei”, destaca o sociólogo.

“Realmente, o FED merece críticas. No entanto, as críticas não devem ser feitas a como ele está agindo agora, mas, sim, à demora que ele teve para agir”, pontua.

Além disso, na edição, os integrantes do conselho também discorrem sobre a política de juros do Banco Central (Bacen), a candidatura da senadora Simone Tebet (MDB/MS) à Presidência da República, a imagem do Brasil no mundo após os assassinatos do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira na Amazônia, o desaquecimento da economia chinesa e os governos de esquerda que têm emergido na América do Sul.

Ouça o podcast na íntegra:

O programa também está disponível no Spotify e no Apple Podcasts.

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.