A BRF anunciou hoje o recolhimento de aproximadamente 164,7 toneladas de carne de frango in natura da marca Perdigão devido ao risco de contaminação pela bactéria Salmonella enteritidis. São cortes congelados de coxas e sobrecoxas, meio peito sem osso e sem pele, filezinho (sassami), miúdos/coração e filé de peito. Outras 299,6 toneladas de carne de frango in natura destinadas à exportação também foram recolhidas. 

Segundo a empresa, toda a carne a ser recolhida saiu de sua unidade em Dourados, no Mato Grosso do Sul. A BRF afirmou que “apenas uma parte dos lotes incluídos no recall teve resultado positivo” para a bactéria, mas que, por precaução, decidiu recolher todos os lotes com “as mesmas datas de fabricação de lotes com teste positivo”. A BRF criou uma página na internet com orientações ao consumidor. 

Saiba mais sobre o caso.

Qual o risco para o consumidor?

“Caso os alimentos não sejam completamente fritos, cozidos ou assados e manuseados conforme instruções de uso nas embalagens, a Salmonella enteritidis representa risco à saúde, podendo causar infecção gastrointestinal, cujos sintomas mais comuns são: dores abdominais, diarreia, febre e vômito”, informou a empresa.

Ainda segundo a companhia, “esse microrganismo não sobrevive ao processo de cozimento, o que é a regra no consumo desses alimentos, conforme descrito nas embalagens dos produtos”. 

Quais os lotes envolvidos? 

Cortes Congelados de Frango – Coxas e Sobrecoxas sem osso
Data de produção: 6.11.18; 9.11.18 e 10.11.18
Embalagem: caixa de papelão (interfoliado) 15 Kg
Registro: 0177/18

Cortes Congelados de Frango – Meio peito sem osso e sem pele
Data de produção: 30.10.18; 7.11.18; 9.11.18 e 10.11.18
Embalagem: caixa de papelão (interfoliado) 15 Kg
Registro: 0209/18

Cortes Congelados de Frango – filezinho (sassami)
Data de produção: 30.10.18; 5.11.18; 6.11.18; 7.11.18; 9.11.18; 10.11.18 e 12.11.18
Embalagem: embalagem plástica 1 Kg
Registro: 0223/18

Miúdos Congelados de Frango – Coração
Data de produção: 30.10.18; 5.11.18; 6.11.18; 7.11.18; 9.11.18; 10.11.18 e 12.11.18
Embalagem: embalagem plástica 1 Kg
Registro: 0174/18

Cortes Congelados de Frango – Filé de Peito
Data de produção: 30.10.18 e 9.11.18
Embalagem: embalagem plástica 2 Kg
Registro: 0230/18

Em que estados os produtos foram vendidos?

Os produtos foram comercializados nos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, segundo a BRF.

Como identificar os produtos?

É preciso checar nome, peso, marca, data de fabricação e origem dos produtos na embalagem (carimbo do SIF). Veja o passo a passo, segundo a empresa: 

Veja o nome do produto: 

  • Cortes congelados de frangos – Filezinho (Sassami)
  • Cortes congelados de frango – Filé de peito
  • Miúdos congelados de frango – Coração

Verifique o peso da embalagem:

  • Filezinho (Sassami) – Pacotes de 1 kg
  • Filé de peito – Pacotes de 2 kg
  • Coração – Pacotes de 1 kg

Confirme se a marca do produto é a Perdigão

Localize o carimbo SIF: 

O produto deve ter o número 18 na parte central do carimbo SIF

Apresenta uma das datas de fabricação abaixo?

  • 05 de novembro de 2018
  • 06 de novembro de 2018
  • 07 de novembro de 2018
  • 09 de novembro de 2018
  • 10 de novembro de 2018
  • 12 de novembro de 2018 
  • 30 de outubro de 2018  

Veja o exemplo das indicações no produto filezinho (pacote 1kg): 

Imagem: Reprodução

O que diz a empresa?

A BRF afirmou que “destacou um grupo de especialistas para investigar as origens deste único caso para garantir a adoção das medidas apropriadas para evitar recorrência”. 

Segundo a empresa, a fábrica em Dourados continua funcionando “sob um processo rigoroso de manutenção e liberação dos produtos para assegurar que a ocorrência foi pontual e não se repetirá”.

Segundo a empresa, o recall foi informado ao Ministério da Agricultura e à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

(Com Reuters) 

Fonte Oficial: UOL

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.