BRASÍLIA  –  A defesa do médium João de Deus entrou com um pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele foi preso no domingo, sob a suspeita de abusar sexualmente de mulheres que procuravam atendimento na Casa Dom Inácio de Loyola, mantida por ele para atendimentos espirituais.

O habeas corpus foi distribuído para o ministro Gilmar Mendes, mas, como o Judiciário está em recesso, o caso vai ser analisado pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli.

Nesta quarta-feira, o ministro Nefi Cordeiro negou um habeas corpus que havia sido impetrado no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Os casos sobre supostos abusos cometidos por João Deus começaram a ser revelados no dia 8 de dezembro, em reportagens da TV Globo e do jornal “O Globo”.

Até agora, o Ministério Público de Goiás já recebeu 506 relatos de mulheres com histórias de assédio.

Na última sexta-feira, a Justiça decretou a prisão preventiva de João de Deus.Ele ficou escondido num sítio em um sítio Abadiânia, mas decidiu se entregar no último domingo, quando foi levado ao presídio em Aparecida de Goiânia.

Fonte Oficial: Valor.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.