“A redução de impostos, em linhas gerais, é de dois anos, já que a concessão pode ser prorrogada”, explica Raya
(Arte: TUTU)

Empresas deixam de importar pagando menos com receio de fazer o pleito de concessão do regime Ex-Tarifário, que consiste na redução temporária da alíquota do imposto de importação de bens de capital (BK) e de informática e telecomunicação (BIT) quando não há produção nacional equivalente.

O assunto permeia o universo do comércio exterior e é tema do podcast da FecomercioSP, publicado nesta sexta-feira (30), com o sócio-fundador da Raya Consult, Roberto Raya. Na gravação, Raya fala a respeito dos riscos de erros na elaboração do documento.

Acesse mais conteúdos sobre comércio internacional:
Exportações da Santa Helena melhoram após dois meses de impacto da pandemia
Empresas encontram dificuldades de acesso a crédito no Brasil e na Espanha durante pandemia
“Drawback”: MP prorroga suspensão de pagamento de tributos para empresas exportadoras em decorrência da pandemia

“Muitas empresas ficam com receio de não fazer um Ex-Tarifário adequado. É muito interessante se certificar do que se está utilizando; se você não foi a empresa que fez o pleito do Ex-Tarifário; ter certeza de que a sua máquina está enquadrada neste regime mediante um laudo técnico, pois a redução de impostos, em linhas gerais, é de dois anos, já que a concessão pode ser prorrogada”, explica ele.

A importação de bens pode representar um grande investimento. Para saber das etapas avaliadas no processo e evitar erros, multas e prejuízos com detalhes técnicos, cadastre-se aqui e fale com um dos consultores da FecomercioSP.

Ouça o podcast

O programa também está disponível no Spotify no Apple Podcasts.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.