Mudança favoreceria os interesses das empresas nas organizações contábil e fiscal
(Arte: TUTU)

Dois projetos, um de 2016 e outro de 2021, tramitam na Câmara dos Deputados com a proposta de reajustar os limites do Simples Nacional de acordo com a inflação. Alberto Borges, assessor técnico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), fala sobre o assunto em novo episódio do podcast da Entidade, de número 373.

Atualmente, quase 20 milhões de empresas estão inscritas neste regime simplificado, no qual o limite máximo de faturamento é de R$ 81 mil, o mesmo desde que o Simples foi criado, em 2006.

Saiba mais sobre impostos
FecomercioSP atua em favor de reajuste anual dos limites e faixas de receita do Simples Nacional
Ouça: Quais os impactos de uma possível mudança na tributação de lucros e dividendos?
Conselho de Assuntos Tributários da FecomercioSP sugere à Sefaz-SP medidas para acelerar crescimento da economia

Para Borges, aumentar o teto de enquadramento seria conceder uma atualização conforme o cenário econômico brasileiro, o que favoreceria os interesses das empresas nas organizações contábil e fiscal. Esta mudança ainda aumentaria o número de empresas enquadradas. 

“Enfrentamos uma inflação de dois dígitos, por volta de 14%, e, com a atualização dos limites em todo 1º de janeiro, o empresário não precisaria se preocupar com a possibilidade de estourar o orçamento permitido e causar o desenquadramento do Simples Nacional”, explica.

Ouça o podcast na íntegra:

O programa também está disponível no Spotify e no Apple Podcasts.

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.