Condição para a liberação da área é o restabelecimento da segurança

A Agência Nacional de Mineração (ANM) decidiu interditar e suspender de imediato as atividades do Complexo Córrego do Feijão, da Vale, devido ao rompimento da barragem 1 da companhia na região, ontem (25), em Brumadinho (MG). Segundo a interdição, assinada pelo gerente regional da ANM/MG, Jânio Alves Leite, a condição para a liberação da área é o restabelecimento de todas as condições técnicas de segurança da operação, devidamente comprovadas junto à ANM.

LEIA MAIS: Ações da Vale despencam nos EUA após tragédia em MG

Hoje, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, afirmou que a situação está contida na região de Brumadinho (MG), atingida pelo rompimento de barragem da Vale na véspera, principalmente na área do desastre.

Canuto participou de coletiva de imprensa junto com outras autoridades neste início de tarde. Também presente, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que nunca houve nenhum projeto para afrouxamento da fiscalização. Sobre o acidente, Salles pontuou que o governo ainda não sabe a causa da tragédia e que não há informação concreta que permita especulação.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Fonte Oficial: Forbes.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.