A Didi tem trabalhado para tratar das preocupações dos consumidores e do governo em relação à segurança

A empresa de transporte compartilhado chinesa Didi Chuxing vai demitir 15% de sua equipe ou cerca de 2 mil pessoas este ano, disse uma fonte, marcando o primeiro grande corte da companhia, que enfrenta o escrutínio por causa do assassinato de dois de seus usuários.

LEIA MAIS: Didi faz aliança com Baic para veículos conectados

O presidente-executivo, Cheng Wei, disse em uma reunião com a diretoria que a empresa se concentraria em serviços básicos de mobilidade e reduziria as unidades de negócios não consideradas essenciais para seu principal empreendimento em 2019, segundo fonte familiarizada com o assunto.

Mas a gigante chinesa terá como objetivo contratar mais de 2 mil funcionários para se concentrar em tecnologia de segurança, engenharia de produto e expansão internacional com o objetivo de manter sua contagem geral de funcionários, acrescentou a fonte.

Uma porta-voz da Didi se recusou a comentar. Notícias sobre possíveis cortes de empregos na empresa começaram a surgir no final de janeiro.

A Didi tem trabalhado para tratar das preocupações dos consumidores e do governo em relação à segurança depois que uma passageira foi estuprada e morta por um de seus motoristas em agosto do ano passado, cerca de três meses depois que outro usuário do serviço foi assassinado. Um tribunal chinês condenou um homem à morte pelo crime cometido em agosto.

VEJA TAMBÉM: Didi investirá US$ 20 mi em SAC após assassinato de passageira

A companhia, que expulsou o rival Uber da China em 2016 e se tornou a maior empresa de transportes do país, agora está enfrentando dificuldades financeiras devido à concorrência de novos participantes e à ascensão de serviços de compartilhamento de bicicletas, como o Mobike.

Esta semana, um site chinês de notícias de tecnologia informou que a Didi Chuxing perdeu 10,9 bilhões de iuanes (US$ 1,6 bilhão) em 2018.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Fonte Oficial: Forbes.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.