Unidades da VLI interligam rodovia à ferrovia e facilitam a logística

Cred-Gustavo-Andrade

A VLI, empresa especializada em operações logísticas e controladora da Ferrovia Centro-Atlântica, tem nos milhares de quilômetros que passam por Minas Gerais parte importante da sua atuação. Nos últimos anos, a empresa passou a contar também com terminais integradores. Essas unidades recebem produtos pelas rodovias e transferem as cargas para vagões. O sistema conecta ferrovia, terminais e portos garantindo eficiência e capacidade na movimentação de grãos, insumos e produtos siderúrgicos entre outros itens.

Cred-Gustavo-Andrade

Minas Gerais conta com cinco terminais e eles movimentaram, em média, mais de 10 milhões de toneladas por ano entre 2013 e 2017. No Triângulo Mineiro, em Araguari e Uberaba, e no Noroeste, em Pirapora, as unidades recebem cargas do agronegócio (farelo, soja, açúcar, fertilizantes). Enquanto Ouro Preto e Santa Luzia movimentam itens ligados à siderurgia e mineração.

Eficiência

O modal ferroviário é apontado por especialistas como o mais adequado para movimentar grandes volumes. Um vagão graneleiro, por exemplo, comporta, em média, mais de 70 toneladas enquanto um caminhão bi-trem carrega somente 36 toneladas. No cenário brasileiro, a prática de interligar modais (rodovia e ferrovia) representa mais velocidade no escoamento das cargas. O papel dos terminais contribui para esse atributo. Antes dessas unidades centralizarem grandes volumes, o processo de embarque nas composições era disperso e resultava em longos intervalos para formar o trem. Araguari, no Triângulo Mineiro, sedia o primeiro terminal da VLI. Por lá, um processo que durava 72 horas sem o terminal, passou a durar, em média, em sete horas.

Seis terminais conectados à FCA

Em Guará, interior de São Paulo, a VLI conta com o sexto terminal conectado à FCA. Essa unidade, inaugurada em 2015, recebe açúcar pela rodovia e envia o produto para o Tiplam, no litoral santista. Entre 2015 e 2017, o Terminal de Guará movimentou mais de seis milhões de toneladas de açúcar.

O ativo será ampliado dentro da parceria VLI e Tereos. Em junho, as empresas anunciaram um acordo para o transporte de açúcar no interior paulista e a parceria prevê a construção de um armazém de açúcar em Guará, com capacidade de armazenamento de 80 mil toneladas. Hoje, a unidade já dispõe de um armazém para 40 mil toneladas.

Raio-x dos terminais integrados à FCA

Terminal de Araguari

Principais produtos: soja, farelo milho e fertilizantes

Origens: recebe cargas de MG, SP, MT e GO. Fertilizantes chegam do porto

Destinos: grãos, Porto de Tubarão, em Vitória, fertilizantes, Triângulo Mineiro.

Terminal de Uberaba

Principais produtos: soja, farelo, milho e açúcar

Origens: recebe cargas de MG, SP, MT e GO

Destino: Tiplam, no litoral santista

Terminal de Pirapora

Principais produtos: soja e milho

Origens: recebe cargas de Minas Gerais, Bahia e Goiás

Destino: Porto de Tubarão, em Vitória

Terminal de Ouro Preto

Principais produtos: siderúrgicos acabados.

Origens: recebe produtos siderúrgicos do Vale do Aço mineiro

Destinos: mercados do Rio de Janeiro e São Paulo

Terminal de Santa Luzia

Principais produtos: produtos siderúrgicos acabados e minério de ferro.

Origens: recebe produtos siderúrgicos do Vale do Aço mineiro

Destinos: Grande BH, interior de Minas Gerais, São Paulo e região Sul do Brasil

Terminal de Guará

Produto: açúcar

Origens: recebe cargas do interior de São Paulo

Destino: Tiplam, no litoral santista

 

Fonte Oficial: Cargo News

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.