Vice-governador e secretário de turismo do Estado do Rio de Janeiro se reuniram com representantes da RIOTUR, do RIOgaleão e do trade de turismo carioca para receber o primeiro charter da Decolar vindo da Argentina. No total, serão 18 operações ligando o Rio de Janeiro a Buenos Aires, além de voos para Santiago, até março de 2019

Otávio Leite (secretário de turismo), turista e Cláudio Castro

Rio de Janeiro, janeiro de 2019 – Pousou no RIOgaleão, na última quinta-feira (03/01), o primeiro voo charter – modalidade que atende demandas sazonais e pessoas que optam por viajar em grupos e comprar pacotes turísticos – da Decolar, maior agência online de viagens do Brasil e América Latina, vindo da Argentina. A aeronave, que trouxe 190 passageiros, foi recebida pelo vice-governador do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, pelo secretário de turismo do Estado do Rio de Janeiro, Otávio Leite, e pelo diretor de marketing da RIOTUR, Mauricio Werner, além de representantes do RIOgaleão e do trade turístico carioca. A Banda da Guarda Municipal e integrantes da escola de samba Grande Rio animaram os viajantes no desembarque, que também foram recepcionados com lembranças do Aeroporto Internacional Tom Jobim.

Bruno Reis (executivo RIOgaleão, terno cinza) e representantes do trade de turismo

Até 17 de março de 2019, serão 18 chegadas e partidas de Buenos Aires para o Aeroporto Internacional Tom Jobim. O acordo inclui também voos de Santiago. A expectativa é que mais de 3 mil turistas argentinos visitem a cidade, movimentando a economia e gerando mais negócios nos primeiros meses do ano. O destino é um dos favoritos dos argentinos – somente no primeiro trimestre de 2018, o Rio recebeu a visita de mais de 57 mil argentinos, 65% a mais que no mesmo período de 2017, segundo dados da Decolar.

“É fundamental termos parcerias como esta que incentivam o turismo local e oferecem uma experiência diferente e ainda mais completa de produtos e serviços ao viajante. Além de preços mais atraentes, com os voos charters os nossos clientes contam com toda a praticidade de uma agência online completa e com a comodidade de terem assistência durante toda a viagem, com receptivo no aeroporto e informações sobre passeios, por exemplo. Com isso, divulgamos internacionalmente os destinos brasileiros mais famosos, como o Rio de Janeiro”, afirma Alexandre Moshe, diretor-geral da Decolar. “Vamos ampliar esse tipo de parceria para fazer com que, cada vez mais, o turismo receptivo se fortaleça. Essa iniciativa pode vir a ser reproduzida em várias outras que permitam que mais pessoas desembarquem no Rio de Janeiro”, reforçou o secretário de turismo, Otávio Leite.

José Manuel Caamaño (vice-presidente da ABIH RJ), Cláudio Castro (vice-governador do Rio de Janeiro) e Mauricio Werner (diretor de marketing RIOTUR)

“Os argentinos estão entre as nacionalidades que mais crescem em intenção de visitar o Rio de Janeiro e o Brasil. Somos um destino mais acessível a esses turistas pela distância. Além disso, o RIOgaleão se conecta às cidades de Buenos Aires, Córdoba e Rosário, o que garante mais opções ao viajante”, destacou o executivo do RIOgaleão, Bruno Reis. Nos últimos dois anos, o Aeroporto Internacional Tom Jobim recebeu 220 voos charter domésticos e internacionais, incluindo origens como Malta, Polônia, Islândia, Áustria e Marrocos. Para 2019, já estão previstas 53 operações até março.

Os voos charter são importantes para completar a oferta de voos durante a alta temporada 2018/2019, período em que são esperados mais de 1,5 milhão de viajantes no RIOgaleão, com a previsão de aumento no número de turistas estrangeiros.

Novos voos na alta temporada

Desde dezembro, o Aeroporto Internacional Tom Jobim conta com novas frequências para as capitais brasileiras Campo Grande (MS), Cuiabá (MT) e Goiânia (GO), que seguirão até fevereiro. Além disso, destinos regulares, como Campinas (SP), Aracajú (SE), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Guarulhos (SP), Fortaleza (CE) e Recife (PE), também estão com mais disponibilidade de voos saindo do RIOgaleão até março deste ano.

Além de oferecer diversas opções de destino para quem quer conhecer o Brasil, o RIOgaleão é uma das principais portas de entrada para o Rio de Janeiro. O turismo no estado, com suas diversas opções naturais, históricas e culturais, chega a contribuir com 5% do PIB local.

Na alta temporada, os turistas podem aproveitar, por exemplo, o famoso carnaval de rua e os desfiles das Escolas de Samba na Sapucaí, além dos conhecidos pontos turísticos, como o Bondinho do Pão de Açúcar e o Cristo Redentor, e dos mais de 70 km de praias espalhadas por todo o Rio e em cidades próximas, como Búzios, Arraial do Cabo e Cabo Frio. O RIOgaleão conta com conexões terrestres diárias para os destinos localizados na Região dos Lagos por meio dos ônibus da Viação 1001.

Para as atrações turísticas da cidade, o passageiro que chega ao Aeroporto Internacional Tom Jobim também pode aproveitar para adquirir entradas e pacotes no Ticket Center, guichê localizado próximo ao dos aluguéis de carros – outra opção para quem deseja desbravar o estado e suas belezas.

Ao mesmo tempo, o RIOgaleão se coloca também como uma das melhores opções para o viajante que quer se conectar a diferentes países do mundo. Durante a alta temporada, os destinos internacionais, como Assunção, Buenos Aires, Córdoba, Rosário, Lima, Santiago, Madri, Londres, Frankfurt, Paris, Casablanca e Orlando também contam com novos voos.

Atualmente, o Aeroporto Internacional Tom Jobim opera voos regulares para 26 destinos internacionais (países da América do Norte, América Latina, Europa, África e Oriente Médio) e 23 nacionais, incluindo cidades de todas as regiões do Brasil. O RIOgaleão recebe mais de 16 milhões de viajantes por ano e oferece infraestrutura com padrão internacional, serviços diversificados e tecnologia de ponta, que dão ao aeroporto a capacidade de receber 37 milhões de passageiros anualmente.

Assessoria de Imprensa

 

Fonte Oficial: Cargo News

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.