Apenas em fevereiro, as exportações totais alcançaram 54,09 mil toneladas, segundo levantamento da ABPA

Dados apurados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que as exportações totais de carne suína subiram 26,5% em fevereiro de 2019, se comparadas ao mesmo período do ano anterior. Em receita, ainda segundo a ABPA, os embarques de carne suína geraram mais de US$ 100 milhões, 13,5% a mais que em 2018.

A fabricante Alegra, sediada em Castro (PR), destina 25,2% da produção ao mercado externo: do total de 120 mil toneladas de carne suína processadas por ano, 30 mil são exportadas para mais de 30 países, como Bahamas, Ucrânia, Dubai, Cingapura, entre outros.

O gerente técnico de suínos da Alegra, Fabrício Penaforte Borges, explica que os dados internos da unidade industrial convergem com o cenário nacional. “Ter um quarto da produção voltada para a exportação reflete a boa reputação da marca e do rigor do nosso processo de produção. Enquanto a globalização nos permite esse relacionamento virtual, a exportação depende da qualidade dos produtos”, afirma Borges.

Além do compromisso que a marca do grupo Unium tem com o consumidor, recentemente a marca renovou a certificação North American Meat Institute (NAMI) de bem-estar animal para suínos, concedida pelo World Quality Services (WQS), uma das entidades mais rigorosas de segurança alimentar do mundo.

Assessoria de Imprensa

 

Fonte Oficial: Cargo News

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.