Os preços do boi gordo continuam subindo diariamente. Segundo a consultoria Safras & Mercado, o perfil da demanda na primeira quinzena de dezembro justifica o comportamento dos preços. Ao mesmo tempo, a oferta de animais terminados segue restrita, o que dá sustentação para os preços.

De acordo com a Scot Consultoria, os compradores estão agressivos e as ofertas de compra vigentes têm superado as feitas no dia anterior. Este é o quadro na maioria das regiões pecuárias.

Na praça pecuária de São Paulo, por exemplo, nos últimos trinta dias, a cotação da arroba do boi gordo para pagamento a prazo subiu 5,4%. No pagamento à vista, a valorização foi de R$ 7, passando de R$ 137 a arroba em Araçatuba (SP) para R$ 144. Com relação aos frigoríficos que desossam, a margem de comercialização da carne está em 23,6%, acima da média histórica, que está em 18,5%.

O mercado atacadista também permaneceu com preços firmes. O viés ainda é de alta nos preços uma vez que a reposição entre o atacado e o varejo está mais rápida com o aquecimento do consumo.

Enquanto isso, as exportações seguem em bom nível, o que ajuda a enxugar a oferta doméstica de carne bovina. Se o ritmo de embarque continuar neste nível, o Brasil poderá ultrapassar o crescimento de 10% estimado para este ano, segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo)

No mês passado as vendas atingiram a 141,9 mil toneladas contra 95,6 mil toneladas no mesmo mês de 2016, um crescimento de 48%. No acumulado do ano, a exportação já alcança 1,3 milhão de toneladas enquanto que este número em 2016 era de 1,2 milhão de toneladas. Ou seja, em volume as exportações já apresentam crescimento 9%.

Fonte Oficial: Canal Rural

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.

Comentários