Clique para copiar

https://www.itforum365.com.br/black-friday-empresa-evita-perda-de-r-31-milhoes-em-fraudes/


A Konduto, que oferece proteção antifraude para cerca de 4 mil lojistas, divulgou números interessantes sobre a Black Friday. Foram 3.107.163 pedidos analisados, totalizando um volume de R$ 1.385.323.062,04 em compras. Destes, R$ 31.067.521,57 em perda foram evitados em compras fraudulentas.

Segundo dados da empresa, entre 28 de novembro e 1º de dezembro, 3.107.163 compras foram analisadas pelo sistema. Somente na sexta-feira (29), a Konduto analisou uma média de 15 pedidos por segundo.

A empresa aponta que as tentativas de fraude caíram nesta edição da Black Friday. A taxa de tentativa de fraude (sobre o total de pedidos) ficou em 1,14%, ou 20,3% a menos em relação a edição de 2018 (1,43%). Para efeito de comparação, a taxa média anual de pedidos fraudulentos no Brasil ficou em 2,2% no ano de 2018.

Mas é preciso notar que, apesar da redução, os criminosos passaram a focar no valor. A cada R$ 1.000 em compras, na edição de 2019, R$ 22,40 estavam relacionados a compras feitas por estelionatários.

O tíquete médio para pedidos fraudulentos ficou na casa dos R$ 879,35; já o tíquete médio de compras gerais analisadas pela Konduto foi de R$ 445,85.

Nesta edição, o foco dos criminosos ficou em compras de eletroeletrônicos. O setor foi atingido por 4,8% das tentativas de fraude. Outros setores ficaram da seguinte forma:

  • Turismo com 1,6%;
  • Calçados com 1,4%;
  • Saúde e cosméticos com 1,27%;
  • Eletrodomésticos com 0,59%;
  • Acessórios com 0,41%;
  • Esporte e lazer com 0,3%, ante 2,89% na edição de 2018.

Já na Cyber Monday (2/12), a Konduto analisou 704.432 pedidos e evitou R$ 7.719.298,38 em compras ilegais. O tíquete médio das compras fraudulentas neste dia foi de R$ 321.

Com informações de: Konduto.

Fonte Oficial: IT Forum 365

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.