A Uber está se aproximando de uma solução mais completa de mobilidade. Além de oferecer serviços de compartilhamento de bicicletas elétricas em algumas cidades dos Estados Unidos, o aplicativo deseja realizar uma integração com os ônibus de Londres, segundo o Financial Times.

Segundo uma reportagem publicada nesta terça (11), a Uber quer permitir que o usuário trace sua rota com transporte público no próprio aplicativo, tendo informações atualizadas de onde estão os ônibus.

A empresa teria contatado o órgão regulador do transporte público (Transport for London) para discutir o assunto, inclusive para que os usuários pudessem pagar pelo app as tarifas. À reportagem do Financial Times, o órgão negou a informação.

A relação da Uber com a capital do Reino Unido possui um histórico de embates. Em 2017, o órgão regulador impediu o aplicativo de operar na cidade, mas um juiz revogou a decisão e cedeu uma licença de 15 meses para a empresa.

Para além dos carros

A Uber começou a oferecer o transporte com bicicletas elétricas em São Francisco no início desse ano. Cerca de três meses depois, a empresa comprou a Jump, startup que realiza esse serviço pelo seu aplicativo.

Há menos de 10 dias, a empresa mostrou interesse em adquirir uma das duas maiores startups de patinetes elétricos, a Bird ou Lime.

Esses movimentos mostram como a empresa está buscando se tornar uma solução mais completa.

Ao oferecer diversos modais de transporte, a empresa estaria um passo à frente de seus concorrentes, com soluções para todos os momentos.

No Brasil, especificamente, a novidade que deve chegar em breve no aplicativo são as bicicletas da Jump.

Na semana passada, a Uber registrou um pedido de IPO, logo após sua concorrente Lyft.

A iniciativa de buscar ampliar seu negócio pode ser uma mensagem aos futuros investidores sobre o potencial do aplicativo para o futuro.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.