O fenômeno dos ‘museus de Instagram’, espaços lançados geralmente no formato pop-up que oferecem experiências para usuários interessados em bombar seus perfis na rede social, desembarca no Brasil na forma do Beauty Factory. O museu, desenvolvido pela Boticário e focado no assunto beleza, reaproveita um barracão no Largo da Batata de 600 m² e transforma-o em palco para efeitos especiais, projeções 3D, experiências sensoriais, piscina de bolinhas e afins.

O Beauty Factory está aberto e vai até dia 24 deste mês. No total são 12 ambientes temáticos prontos para receber todo tipo de fã da plataforma. No final, os visitantes aproveitam uma exposição com cinco artistas convidados. Segundo a marca, é “um lugar feito apenas para se divertir em ambientes lúdicos, cheios de cores e efeitos, fazer sua melhor (ou mais engraçada) pose e compartilhar com o mundo”.

+ Posada José Ignacio é novidade do verão uruguaio
+ A pop up store do Estudio Orth no Chez Oscar vale a visita
+ Os 10 gifs mais usados segundo o Google dão o tom de 2018

Por falar em compartilhar, o Beauty Factory também tem uma pegada sustentável: para visitar o local não precisa comprar ingresso. Basta levar uma embalagem vazia do Boticário (ou qualquer outra marca) ou um brinquedo novo ou uma peça de roupa nova e trocar por um convite na hora. As doações vão se transformar em presente de Natal para quem precisa e as embalagens vão para o Boti Recicla –  programa de logística reversa do Brasil que beneficia centenas de pessoas nas cooperativas de reciclagem homologadas.

SERVIÇO

Beauty Factory
Local: Rua Fernão Dias, 624 – Pinheiros, São Paulo/SP
Período: 06 e 24 de dezembro de 2018
Horários:
– Segunda à sexta-feira: 12h às 21h (exceto 24/12)
– Sábado e domingo: 10h às 21h
– Dia 24/12: das 9h às 16h

Convite: um brinquedo ou uma peça de roupa novos ou uma embalagem vazia do Boticário (ou qualquer outra marca de cosmético).

Fonte Oficial: GQ

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.