Mulheres estão conseguindo espaço nos mercados de tecnologia
(Arte/Tutu)

O momento de pandemia impôs um ambiente adverso às mulheres que buscam empreender, trocar de carreira, começar do zero ou liderar os setores de negócios que estão estruturados em inovações. Apesar deste cenário estar mais desafiador, o que não mudou foi a inesgotável demanda dos consumidores por soluções em produtos e serviços que resultem em um impacto significativo no dia a dia. A oportunidade que isso possibilita às mulheres, bem como as habilidades que elas podem desenvolver para dominar estes mercados, foram temas do webinário organizado pela FecomercioSP na última quinta-feira (18).

“É importante entender o quanto faz diferença no mundo dos negócios a união da tecnologia alicerçada à multidisciplinaridade. Mas também a resiliência e a humildade [são fundamentais] para saber reconhecer algum erro e para mudar um modelo de negócio, que muitas vezes não é o ideal para o momento. Sempre fui focada em inovação e, com frequência, produtos e ideias estavam além da maturidade do consumidor. A humildade foi importante para saber adaptar esse ímpeto de fazer novo e fazer diferente”, relata Mellissa Penteado, sócia-fundadora da proScore e Bancoin, e a única mulher a presidir um birô de crédito no Brasil.

Veja também
Mulheres se adaptam na pandemia para empreendedorismo feminino continuar a crescer
Turismo de base comunitária inova ao proporcionar imersão do turista em comunidades locais
Parcerias, rede de apoio e digitalização são os aprendizados de 2020 que vieram para ficar

Quanto à presença de mulheres na linha de frente do setor financeiro, dos e-commerces, dos pequenos negócios, das startups, etc., Kelly Carvalho, economista e consultora da FecomercioSP, destaca que, gradativamente, as mulheres empreendedoras estão conseguindo se identificar nestes mercados muito estruturados na tecnologia. “A forma que muitas mulheres encontraram para sobreviver foi empreendendo, ainda que em meio a várias restrições da pandemia e tendo que cuidar da casa. Elas conseguiram aprendendo a inovar por meio dos marketplaces e das redes sociais. A necessidade está se transformando em uma grande oportunidade para estas mulheres. Temos que enxergá-las como participantes ativas desses mercados”.

Loise Nascimento, gerente de Policy e Regulatório no Grupo Movile, lembra que a parte técnica das profissões envolvendo tecnologia podem ser facilmente dominadas, então outras habilidades podem ser muito mais desafiadoras para as mulheres que estão no caminho de desenvolver uma carreira nesses setores.

“Eu focaria em habilidades de conseguir conviver em um ambiente predominantemente masculino. A qualificação é essencial, mas conseguir se colocar nesse ambiente é muito mais estratégico para o sucesso, saber como você poderá se destacar. Se você não tem o espaço ou o lugar de fala, se coloque e assuma uma posição. Ao longo do tempo, isso trará resultados muito significativos”, ela ressalta.

Assista ao webinário na íntegra aqui.

 

Fonte Oficial: FecomercioSP

Comentários