A partir de 24/3, a Agência vai apertar o cerco contra aparelhos irregulares em mais 15 estados pelo país. Iniciativa teve início em 2018.

Após uma expansão no último mês de dezembro, a Anatel anunciou nesta semana que dará continuidade ao bloqueio de celulares piratas no próximo dia 24 de março. A partir desta data, a Agência Nacional de Telecomunicações vai bloquear aparelhos considerados irregulares em mais 15 estados, incluindo São Paulo, Minas Gerais e Bahia – veja a lista ao final do texto. 

“O celular irregular é aquele que não tem o selo da Anatel que indica a certificação do aparelho e garante ao consumidor a compatibilidade com as redes de telefonia celular brasileiras, a qualidade dos serviços e a segurança do consumidor, segundo os requisitos estabelecidos pela Agência”, aponta o órgão em seu site.

Anunciada no ano passado, a iniciativa da Anatel tem o objetivo de combater o uso de aparelhos falsificados ou com IMEI adulterado pelo país. 

Mensagem de alerta

Como fez nas ocasiões anteriores, a Agência vai enviar mensagens de alerta sobre o bloqueio dos celulares irregulares que entra em vigor em março (veja lista abaixo) a partir da próxima segunda-feira, 7/1 – 75 dias antes do início do bloqueio.

No dia 24/3, o bloqueio passa a valer nos seguintes locais: Região Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe), Região Sudeste (Minas Gerais e São Paulo) e Região Norte (Amapá, Amazonas, Pará, Roraima).

Vale notar que a medida só vai afetar os celulares irregulares habilitados nas redes das prestadoras desses estados a partir de 7/1.

Bloqueios anteriores

Para quem não lembra, no último dia 8 de dezembro de 2018 a Anatel passou a bloquear celulares irregulares nos estados do Acre, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e Tocantins. Antes disso, a medida já valia no Distrito Federal e Goiás.

Fonte Oficial: IDG Now!.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.