Em decisão, juiz afirma que mulher poderia ter removido autores das ofensas do grupo. Caso aconteceu em 2014 no interior de São Paulo.

Uma mulher foi condenada pela Justiça de São Paulo a pagar 3 mil reais por danos morais por conta de uma briga entre membros de um grupo de WhatsApp que ela administrava, segundo informações do Estado de Minas

A mulher, cuja identidade não foi revelada, não participou da briga em questão e não ofendeu de forma direta quem a processou, mas foi responsabilizada por ser criadora e administradora do grupo no aplicativo, aponta o jornal.

Registrado na Segunda Vara Cível do Foro de Jaboticabal, no interior paulista, o caso aconteceu em 2014, quando o grupo de WhatsApp em questão foi criado para que os seus participantes combinassem sobre assistir aos jogos da Copa do Mundo daquele ano – que foi realizada no Brasil. 

Na ocasião, um integrante do grupo ofendeu uma mulher, que então entrou com um processo na Justiça contra a administradora do grupo por ela não ter encerrado o grupo após as ofensas citadas acima. Na época, a processante tinha 15 anos, razão pela qual seu pai também foi incluso como autor da ação – também foram abertos processos contra os ofensores, segundo o documento.

O juiz do caso justificou a sua decisão, afirmando que “(a) ré que, na qualidade de criadora do grupo, no qual ocorreram as ofensas, poderia ter removido os autores das ofensas, mas não o fez, mostrando ainda ter se divertido com a situação por meio de emojis de sorrisos com os fatos”.


Fonte Oficial: IDG Now!.

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.