As ações da mineradora Vale (VALE3) operavam em alta nesta quarta-feira (30). Por volta das 10h10, os papéis subiam 7,86%, a R$ 46,10. Na segunda-feira (28), primeira sessão após o rompimento de uma barragem de rejeitos da companhia em Brumadinho (MG), as ações fecharam em queda de 24,52%. Já na terça-feira (29), os papéis subiram 0,85%

Especialistas ouvidos pelo UOL disseram que as ações da Vale subiram devido a dois fatores: possibilidade de mudança na diretoria da empresa e oportunidade de lucrar com os papéis no futuro.

Também por volta das 10h10, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 1,48%, a 97.056,21 pontos, enquanto o dólar comercial registrava baixa de 0,12%, cotado a R$ 3,718 na venda. Na véspera, a Bolsa fechou com valorização de 0,2%, a 95.639,33 pontos e a moeda teve queda de 1,14%, a R$ 3,723

Vale vai cortar produção

O rompimento da barragem em Brumadinho despejou milhões de metros cúbicos de lama na região do Córrego do Feijão, destruindo instalações da Vale e arrasando uma comunidade local. Dezenas de pessoas morreram e há centenas desaparecidas.

A mineradora aprovou investimentos de R$ 5 bilhões para acabar com as barragens a montante, o mesmo sistema utilizado na estrutura que se rompeu em Brumadinho.

A companhia terá que parar a produção de minério de ferro nas áreas próximas das unidades situadas em Minas Gerais, com impacto de 40 milhões de toneladas de minério de ferro e 11 milhões de toneladas de pelotas ao ano, anunciou na terça-feira o diretor-presidente da Vale, Fabio Schvartsman. Os 40 milhões de toneladas de minério de ferro representam 10% da previsão de produção da Vale.

Agência rebaixa nota da mineradora

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou a nota da Vale para “BBB-” na noite de segunda-feira (28). O rebaixamento, segundo a Fitch, reflete a expectativa de que a companhia terá de arcar com pesados custos de reparação da tragédia.

Na terça-feira, foi a vez da Moody’s colocar a nota da mineradora em perspectiva negativa, ou seja, com possibilidade de rebaixamento em breve. O mesmo já havia sido feito pela S&P no último sábado (26).

Mercado de minério de ferro

O desastre de Brumadinho criou incertezas para o mercado de minério de ferro da China, em um momento em que a procura produto brasileiro está aumentando, disseram vários operadores chineses nesta segunda-feira. A Vale é a maior produtora mundial de minério de ferro com baixo teor de alumínio, o preferido das usinas chinesas devido ao seu baixo nível de impureza.

O rompimento da barragem no Córrego do Feijão é o segundo incidente em uma mina da Vale desde 2015, quando uma barragem de rejeitos em uma mina da Samarco se rompeu e causou o maior desastre ambiental da história da mineração no país. A Vale é uma das donas da Samarco, junto com a australiana BHP Billiton.

Nesta quarta-feira, os preços do minério de ferro na China subiram fortemente para o maior nível em quase 17 meses, após a mineradora brasileira anunciar que terá uma redução na produção.

(Com Reuters)

Veja o caminho percorrido pela lama da barragem de Brumadinho

UOL Notícias

Fonte Oficial: UOL

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.