A Amazon finalmente revelou quantos dispositivos com a Alexa já vendeu até agora. Foram mais de 100 milhões.

Por estar cada vez mais presente na vida das pessoas e estar mudando a forma como vivem, a Alexa tem sido cada vez mais comparada com o iPhone.

Ano após ano, a gigante do varejo informa que “mais um recorde foi quebrado”. No entanto, ela nunca havia revelado quantos milhões de dispositivos com sua assistente pessoal havia vendido – até agora.

Dave Limp, vice-presidente sênior de serviços e dispositivos da Amazon, revelou o número em entrevista ao The Verge. Ele não especificou quais os modelos de maior saída, mas afirmou excedeu as expectativas da empresa.

O marco de 100 milhões de vendas não são apenas de produtos fabricados pela Amazon, mas também de parceiros que possuem a integração com sua inteligência artificial.

Atualmente, a gama de produtos que contam com a Alexa é extensa – existem desde relógios de parede à micro-ondas com a tecnologia. No entanto, ainda é mais comum encontrar a inteligência nos assistentes pessoais da própria Amazon, disponíveis em diferentes versões.

Novo iPhone

Com o dispositivo Alexa, toda experiência dentro dos estabelecimentos (sejam casas, lojas ou escritórios) passa a ser diferente. Os moradores, por exemplo, passam a poder acender e apagar a luz apenas pedindo para a assistente pessoal, por comandos de voz.

Ouvir notícias passa a ser uma opção, pois a Alexa pode preparar e ler as principais manchetes do dia para você. Além disso, o dispositivo é capaz de tocar músicas, procurar receitas, anotar compromissos e ser um despertador – tudo, é claro, por comandos de voz.

É claro que a Amazon não é a única nessa corrida – a Apple possui a Siri, a Microsoft, a Cortana, e o Google, o Google Assistente. No entanto, a varejista criada por Jeff Bezos parece ser a empresa mais acelerada nessa vertical em pleno crescimento, devido a cartela de produtos e seu número de vendas.

Fonte Oficial: StartSe

Comentários/Comments

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do VIP CEO.